Magazine Luiza

terça-feira, 16 de abril de 2013

Redes Sociais - As heranças do Orkut

As heranças do Orkut  
Excesso de compartilhamento, aumento do número de spams e convites para jogos on-line irritam os usuários. Denúncias de crimes nesses sites passam de 3 milhões em sete anos

 
Publicação: Jornal Estado de Minas 11/04/2013 Caderno Inform@tica

 
O Orkut já não ocupa o primeiro lugar do ranking de redes sociais mais acessadas do Brasil, mas deixou heranças – nada agradáveis – para os usuários. Os spams, os convites para os jogos on-line e os comentários agressivos, assim como era na plataforma do Google, têm feito com que os participantes fiquem bastante irritados. O site Sweatband.com publicou um ranking com os compartilhamentos mais chatos da internet.

Em primeiro lugar, estão as pessoas que contam vantagens a respeito de suas dietas e exercícios físicos – sim, a saúde de uns pode causar o estresse de outros. Afinal, ninguém quer realmente saber quantos quilos você perdeu ou se bateu seu recorde e correu 20 quilômetros hoje de manhã. Depois, vêm aqueles menos preocupados em manter a forma e mais em mostrar exatamente as delícias que estão ingerindo. São os usuários que postam fotos de comida o tempo todo – famosas, principalmente, no Istagram.

Na terceira posição, estão as indiretas no status, como “Você não odeia quando as pessoas prometem fazer alguma coisa e depois te desapontam?” – que normalmente irritam todo mundo, menos o alvo. Ou mesmo as frases misteriosas que, basicamente, ninguém (exceto seu autor) entende. Por exemplo, “não acredito que isso aconteceu”.

Entretanto, esses compartilhamentos que enchem as páginas não são apenas inconvenientes (aliás, esse é o menor dos problemas). Eles podem ser perigosos. Somente a ONG Safernet Brasil recebeu e processou, em sete anos, 3.173.061 denúncias anônimas envolvendo 472.840 URLs distintas, a maior parte correspondendo a redes sociais. O Orkut é o líder em queixas, sendo o orkut.com.br o número um, seguido pelo orkut.com, na segunda posição. Os dois endereços somam mais de 329 mil reclamações, o que corresponde a 69% do total, no período avaliado, que vai de 2006 até 2012.

PROTEJA-SE Para Rodrigo Fragola, vice-presidente de tecnologia e inovação da Acker, empresa de segurança, as redes sociais refletem o mundo real. “O risco de ter dados roubados é o mesmo em todas as plataformas que visam relacionamento entre pessoas. Toda vez que há uma adesão massiva a alguma tecnologia, o risco aumenta. Desde que explodiu, o Facebook é o mais visado”, explica.

O Facebook, na terceira colocação, teve 15 mil denúncias (3%) e o Twitter, 8.107, representando apenas 1%. Com relação ao conteúdo desses crimes virtuais, a maior parte das acusações recebidas referentes ao Orkut envolvem indícios de pornografia infantil. Somam, no total, mais de 154 mil páginas denunciadas. Só em 2012 foram 6.326. Outros temas detectados (em todos os sites) são: intolerância religiosa, racismo, neonazismo, tráfico de pessoas, maus-tratos contra animais, xenofobia, apologia e incitação a crimes contra a vida e homofobia.

“No mundo virtual, é mais difícil saber com quem você está lidando. Há o problema dos perfis e empresas falsas. Tomar cuidado com o que se aceita, entre jogos e aplicativos, e clicar apenas em links confiáveis são maneiras de se proteger”, afirma Fragola.


CUIDADOS
» Desconfie das páginas das empresas
» Evite clicar em links para aplicativos dentro das redes sociais
» Adicione apenas quem realmente conhece
» Não publique informações que possam prejudicar você ou dizer muito sobre sua rotina
» Fique de olho nos seus filhos


A QUEDA DO C!
Foram 1.024 páginas de humor criadas por Mauricio Cid, 27 anos, que hoje mantém o blog Não salvo. Porém, a história dele no Orkut não teve um final feliz. Uma reportagem  sobre pedofilia, acabou mostrando uma das comunidades, que não tinha relação com o assunto. “Em seguida, o Orkut me mandou um e-mail dizendo que eu seria investigado pela PF. Apagaram todas as minhas contas”, lamenta. Para ele, os spams transformaram a rede em um “poço de vírus e golpes”.