Magazine Luiza

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Sem fantasia - Chico Buarque - Desafio "uma música por dia"!


Chegamos aos anos 90. 

Essa música escolhi no lugar de Construção/ Deus lhe pague, Cálice, Roda Viva ou O que será (Chico Buarque). Está representando toda discografia desse compositor, que mesmo aqueles opositores de sua posição política dizem: ele é um merda, apesar de suas músicas serem boas. 

Sempre digo que o Chico é compositor e não cantor/intérprete, suas música são melhores executadas na voz de outros artistas, mesmo as originais na voz do Chico as melhores são aquelas em que ele está acompanhado do Milton Nascimento ou MPB4. 

Escolhi essa versão do Oswaldo Montenegro para mostrar essa minha opinião. A voz do Chico não aparecerá nessa difícil escolha de 7 "preferidas" (serão 9!) .

Essa música é de 1968, disco "Chico Buarque De Hollanda Vol.3", na gravação original cantava o Chico e sua irmã... Gravação original em disco, porque o original mesmo era a versão com Marília Pera & Rodrigo Santiago pois a música fazia parte da peça Roda Viva, primeira peça de teatro escrita pelo compositor (primeira de muitas, já vi algumas peças dele, essa só li o roteiro...).
Marília Pera ou Marieta Severo?! Ah... sei lá... uma das duas...
(Alguém conhece a história? Então conte...)

Escolhi Oswaldo Montenegro. Poderia ser outro pois vários artistas gravaram discos dedicado à obra do Chico, como o Ney Matogrosso, Gal Costa, Quarteto em si, dentre outros... 

Acompanha o Oswaldo uma cantora chamada Tânia Maya. Lembro-me até hoje o arrepio na coluna que senti ouvindo pela primeira vez essa versão, apesar de já conhecer a música na versão original e na regravação do Chico com Maria Bethânia.

Apesar da música ser da década de 60, eu disse que chegamos aos anos 90, pois essa versão do Oswaldo Montenegro e Roberto Menescal faz parte de um belíssimo CD e divertidíssimo show chamado "Letras Brasileiras", nasceu de um encontro em um aeroporto onde o Oswaldo e Menescal discutiram a MPB, estavam revoltados com um crítico qualquer que escreveu num jornal qualquer que na MPB só  teriam letristas nenhum poeta! Ficaram horas lembrando e relembrando quem eles consideravam poetas... Na hora de ir embora combinaram de produzir um disco/show para desmentir esse crítico. 

Combinado a produção e músicos que participariam do CD, eles marcaram a data da primeira reunião para definir o repertório do CD. Todos reunidos antes de começar a reunião, Menescal pediu a palavra e definiu: 

-Do Chico Buarque só valem duas! 

Era essa historinha que prometi contar no primeiro Post...

As duas escolhidas foram " Todo sentimento" e essa "Sem fantasia" que abre o CD e era o auge do show.


Como não irei escolher outra música romântica/poética como essa ela representará também a discografia de Vinicius, Toquinho, Oswaldo Montenegro, Guilherme Arantes, Ivan Lins, Roberto e Erasmo, e todos aqueles poetas escolhidos para participar do CD letras brasileiras I e II...


Sem fantasia.
(Chico Buarque)
Vem, meu menino vadio
Vem, sem mentir pra você
Vem, mas vem sem fantasia
Que da noite pro dia você não vai crescer
Vem, por favor não me evites
Meu amor, meus convites
Minha dor, meu apelos
Vou te envolver nos cabelos
Vem perder-te em meus braços
Pelo amor de Deus!
Vem que eu te quero fraco
Vem que eu te quero tolo
Vem que eu te quero todo meu
Ah! Eu quero te dizer
Que o instante de te ver custou tanto penar
Não vou me arrepender
Só vim te convencer que eu vim pra não morrer
De tanto te esperar
Eu quero te contar das chuvas que apanhei
Das noites que varei no escuro a te buscar
E quero te mostrar as marcas que ganhei
Nas lutas contra o rei, nas discussões com Deus
E agora que cheguei eu quero a recompensa
Eu quero a prenda imensa dos carinhos teus