Magazine Luiza

Bem Vindo ao Blog!

Pesquise no Google:

http://sites.google.com/site/jogosdinheirointernet/magazineemocione Ranking do sites PTC, com explicação de como funcionam.

Lista Negra - Sites SCAMs
FAQ dos PTC - Perguntas Frequentes sobre Sites Pago para Clicar

FAQ do PayPal

Tutorial sobre o NeoBux, Melhor Site PTC do Momento(Incluíndo duas entrevistas do Administrador do site!)

Anuncie aqui - Planos a partir de R$200,00 por mês.

1 ano : R$2.400,00 (R$200,00 mensais)
6 meses : R$1.350,00 (R$225,00 mensais)
3 meses : R$750,00 (R$250,00 mensais)
2 meses : R$550,00 (R$275,00 mensais)
1 mês : R$300,00

sábado, 28 de outubro de 2017

Xadrez da Maçonaria no Brasil

Pouco antes do golpe de 2016 ser consumado, veio um advogado visitar minha casa e nós conversamos sobre a situação política nacional. Ele trabalhando a algum tempo em  Brasília, perguntei aquilo que boa parte dos brasileiros se perguntam: Por que a justiça brasileira tem olhar tão enviesado e só prende o lado vermelho da força e deixa o lado azul livre leve e solto?
Ele me respondeu: proteção corporativista das lojas maçônicas! 
Eu achei a explicação meio surreal, meio chutada, meio já que não sei a resposta vai essa mesma...
Essa informação não dá para você digerir assim de uma hora para outra...

Pois bem....

Reproduzo aqui a série Xadrez da Maçonaria, do Portal JornalGGN:

===================================================================
https://jornalggn.com.br/noticia/xadrez-da-maconaria-no-brasil-por-luis-nassif

Xadrez da Maçonaria no Brasil, por Luís Nassif
QUI, 28/09/2017 - 01:44
ATUALIZADO EM 28/09/2017 - 21:50


Xadrez da Maçonaria no Brasil

Peça 1 – general Mourão coloca Maçonaria na mira

As declarações do general Antônio Hamilton Mourão em uma Loja Maçônica do Distrito Federal foram amplamente cobertas pela mídia. Passou em branco o local da manifestação e as relações políticas da maçonaria no país.
Em Portugal, a Maçonaria teve papel central nas movimentações que resultaram na prisão e na destruição política de José Sócrates, ex-primeiro ministro de tendência socialista. Ressurgiu como poder político, não se sabe se efetivo ou superdimensionado pelo caráter misterioso dos maçons.
No processo de impeachment houve diversas manifestações de lojas maçônicas e há diversos maçons em cargos-chaves na administração pública.
Como filho e neto de maçons - meu pai chegou a ocupar alto cargo na Loça Maçônica Estrela Caldense, e abjurou para casar na Igreja com minha mãe - sempre a vi como um clube de autoajuda, muito distante da militância política no Segundo Império.
Meu avô foi levado para a Maçonaria por meu pai. Mudou-se para São Paulo em 1960. Em seu enterro, em 1984, quando chegamos em São Sebastião da Grama, estavam aguardando-os os irmãos maçons de Poços.
Mesmo assim, o tema ainda é insuficientemente explorado. E não se sabe se a Maçonaria é uma força organizada, ou seja, com os maçons obedecendo a movimentos políticos coordenados, típicos de partidos políticos e de associações conspiradoras, ou apenas um clube de autoajuda, uma espécie de Rotary Club com rituais.
Hoje em dia, a soma de manifestações políticas obriga a um foco mais próximo para entender a verdadeira dimensão do fenômeno maçonaria no Brasil de hoje.
Lanço algumas pinceladas, claramente insuficientes para uma avaliação definitiva sobre a Maçonaria, mas visando promover a discussão.

Peça 2 - A Maçonaria atual

Ao longo da história, a Maçonaria juntou brasileiros influentes das mais variadas extrações políticas. A lista de 100 Maçons Ilustre (https://goo.gl/FxS36c) traz, na letra A, os nomes dos ex-governadores Ademar de Barros, Alceu Collares, Antônio Carlos Magalhães, ao lado de políticos híbridos como Aldo Rebelo e Antônio Palocci.
A Maçonaria no Brasil tem três correntes: o Grande Oriente do brasil, o mais antigo, fundado em 1822; as Grandes Lojas e os Grandes Orientes Independentes, reunidos embaixo da Confederação Maçônica do Brasil, conforme se depreende de discurso do senador Mozarildo Cavalcanti (https://goo.gl/LSgpib).
O Grande Oriente do Distrito Federal é subordinado ao grande Oriente do Brasil. Foi criado em 1971. Havia a necessidade e de 13 lojas para fundar um Grande Oriente. O primeiro Gráo-Mestre do Distrito Federal foi Celso Clarismundo da Fonseca.
Em 1978 o Grande Oriente do Brasil transferiu sua sede do Rio de Janeiro para Brasília, comandado pelo senador goiano Osíris Teixeira. Hoje existem 73 lojas no Grande Oriente do DF, no coração do poder.
Nos últimos anos, o Grande Oriente comandou eventos políticos de peso, como homenagem às Forças Armadas, com presença de representantes das três forças; o movimento contra a intervenção federal em Brasília, a campanha da Lei da Ficha Limpa e vários eventos em favor da ética.
Nos 40 anos de fundação, houve evento comemorativo que contou com vários maçons ilustres, como o vice-governador do DF, Nelson Tadeu Filipelli, o então vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça Ministro Félix Fischer, o Ministro do STJ José de Jesus Filho, o Desembargador do TJ do Distrito Federal Lécio Resende da Silva.
No evento, propunha-se um novo estilo para a Maçonaria, conforme discurso do senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR):
O tempo em que a maçonaria precisava se esconder já passou. O tempo em que ela foi perseguida pelos reis, pela Igreja e por outros grandes e poderosos já passou. A maçonaria vive um momento em que precisa, de fato, sintonizar-se com o século XXI, modernizar-se, mostrar para a sociedade o que faz - e só faz o bem, mas faz de forma que não é perceptível pela sociedade”.
Eventos em outras partes do país, como em Campo Grande, servem para mostrar a influência regional da Maçonaria (https://goo.gl/qfL7WV). Entre os maçons agraciados estava o presidente do Tribunal de Justiça José Aedo Camilo, do Procurador Adjunto do Ministério Público do estado, Benjamin José Machado, do presidente do Tribunal de Contas do Estado Élcio Gonçalves de Oliveira, do Secretário do Planejamento Luiz Advive Palmeira, do Secretário de Administração Adjunto Sérgio Luis Gonçalves.

Peça 3 - A diversidade ética e política

Os últimos eventos político-policiais mostraram que nem sempre os princípios éticos foram seguidos por todos os maçons. A quadrilha comandada por Michel Temer teve dois maçons ilustres, dois de seus principais operadores, Nelson Tadeu Filipelli e Sandro Mabel, que nos registros da Maçonaria utiliza seu nome real, Sandro Antônio Scodro. Era maçom também o ex-senador Demóstenes Torres.
Não se pode atribuir à Maçonaria uma ação homogênea.
Em São Paulo, há uma clara articulação visando eleger políticos maçons. A Assessoria Parlamentar do Grande Oriente de São Paulo é constituída pelo vice-governador Márcio França, o deputado federal baleia Rossi e os deputados estaduais Welson Gasparini e Itamar Francisco Borges.
Por outro lado, havia um grupo autodenominado de Maçons Petroleiros (https://goo.gl/SBnYW1)que se organizou “em defesa dos interesses da Petrobras e da nacionalidade”. Criou 7 lojas denominadas Monteiro Lobato (um dos pioneiros da luta pelo petróleo) e, em 2008, se aliaram ao PT, parlamentares do PMDB, PTB, PCdoB e sindicalista tentando tirar Paulo Roberto Costa de uma diretoria da Petrobras.
Os arquivos do governo do estado do Paraná guardam fotos de uma visita ao então governador Roberto Requião, por Alan Kardec e José Inácio Conceição, Inspetor Geral da Ordem dos Maçons.
As estripulias de Paulo Roberto já não eram segredo. O candidato do grupo era Alan Kardec, que dirigiu a Petrobras Biocombustíveis. Na época, sua indicação foi vista como vitória pessoal da Maçonaria. Infelizmente, não foi vitorioso no objetivo principal, que era tirar Paulo Roberto da Petrobras.

Peça 4 - As ligações internacionais

Historicamente, a Maçonaria brasileira nasceu da costela da Maçonaria de Portugal.
Recentemente, a Maçonaria adquiriu enorme protagonismo em Portugal, sendo apontada como personagem política central da crise que destruiu o grande nome da socialdemocracia portuguesa, ex-primeiro ministro José Sócrates.
Mas por lá há uma divergência clara entre duas linhas da Maçonaria: o Grande Oriente Lusitano, ou Maçonaria Regular, mais conservadora; e a Maçonaria Irregular, Liberal e Adogmática (https://goo.gl/MnLBJf).
Nasceu na Maçonaria Irregular a Lei do Serviço Nacional de Saúde, aprovada pela Assembleia da República em 1979.
A dissidência se deu nos anos 80, refletindo as disputas o pensamento da Grande Loja Unidade da Inglaterra, que não admite mulheres maçons e obrigava seus seguidores a adotar crenças religiosas. Enquanto a outra linha maçônica admite a participação de mulheres e aceita ateus e agnósticos.
Grão-Mestre da Obediência Maçônica Grande Oriente Lusitano, de tendência liberal, o português Antônio Reis definiu bem seu compromisso com a democracia:
“Vivemos em tempo de crise. A Maçonaria está atenta para se adaptar aos novos tempos?
Temos que estar muito atentos a estes sintomas de inquietação que vão proliferando, mas não podemos cair num certo catastrofismo, nem pensar que a democracia está condenada e que se caminha no sentido de uma certa anarquização das respostas políticas. Longe disso.
Há que aperfeiçoar a democracia e os partidos. Não vejo alternativas a uma organização democrática em que os partidos políticos continuam a ter um papel fundamental”.
Por outro lado, a Loja Mozart, que pertence à Grande Loja Regular Legal de Portugal foi apontada como diretamente envolvida com o serviço secreto português, nos ataques a José Sócrates.

Peça 5 - O destino manifesto

Do lado dos conservadores e dos progressistas, há inúmeras referências a uma espécie de destino manifesto dos maçons.
No artigo “Perspectivas para a Maçonaria no Século 21”(https://goo.gl/RNMAHh), preconiza-se:
O exemplo da burguesia revolucionária, que foi sábia o suficiente para reunir todos os ingredientes que possibilitaram o salto de qualidade, deve ser seguido, devidamente relativizado. Somos a única instituição no mundo capaz  de se apresentar diante da história como agentes catalisadores da mudança, sem que confundamos nossas ações com as ações próprias de um partido político. Na minha avaliação a maçonaria está acima e além da luta de classes. Ela e só ela!
Por sermos universais, podemos promover vários ensaios, encontros, congressos, etc… com todas as grandes inteligências do mundo, presentes na instituição. Se não estiverem, nós as traremos. Aqui é o lugar delas.
Poderemos forjar novas lideranças mundiais a partir de nossas lojas universitárias. Deveremos ir aos parlamentos, forças armadas, Academia, etc… e buscar todos que se sentem compromissados perante o desafio de promover a necessária harmonia entre os elementos que formam a complexa tessitura  de nossa marcha evolutiva. A exigência será a vocação para Homem-Humanidade. E , hoje, ser Homem-Humanidade é sonhar com um ordenamento social que desempenhe a função histórica de ultrapassar  a emancipação provocada pela Revolução Francesa, superando os seus limites, isto é, criar uma emancipação universalmente humana e não apenas a de uma classe”.
De qualquer modo, são pouco claras as ligações de setores da Maçonaria brasileira com a dos países centrais.
O site "Três Janelas", ligado à Maçonaria, traz informações relevantes sobre as formas de articulação das Lojas Maçônicas brasileiras com a Grande Loja Unida da Inglaterra.
"O District Grand Lodge of South America Northern Division tem como Grão Mestre Distrital o RW Bro Colin Foster, como Grão Mestre Distrital Adjunto o W Bro John Collakis e como Grão Mestre Distrital Assistente o W Bro Ivan Clark.
A novidade desse ano foi à gravação de um vídeo sobre as atividades da maçonaria inglesa no Brasil, idealizado pelo Grão Mestre Distrital Colin V. Foster e que será distribuído no Brasil e Inglaterra. O vídeo abordará a maçonaria inglesa, a maçonaria brasileira, a maçonaria inglesa no Brasil, além de outros assuntos relacionados.
O Grande Oriente do Brasil sempre pautou o seu relacionamento internacional pelas normas estabelecidas pela Grande Loja Unida da Inglaterra, com a qual mantem estreito relacionamento desde o século passado".
Colin V. Foster é o marido de Graça Foster, ex-presidente da Petrobras. Motivo para que os fakenews que pululavam na Internet atribuísse propósitos conspiratórios à Maçonaria, que se infiltraria no governo através de Graça.
Colin é o Grão-Mestre Distrital da Divisão Norte da Grande Loja Unida da Inglaterra, cujo “Grand Master” é o Príncipe Edward George Nicholas Paul Patrick – primo da Rainha Elisabeth. Quem comanda a Grande Loja Unida da Inglaterra, junto com o príncipe, é Peter Lowndes membro do Royal Institution of Chartered Surveyors (RICS).

Peça 6 – levantando a bola

A intenção desse Xadrez inconclusivo foi levantar a bola, juntar mais dados e estudos para voltar ao tema.
Obviamente, como um Portal colaborativo, contamos com a colaboração de vocês.

Uma Contribuição ao “Xadrez da Maçonaria no Brasil, por Luiz Claudio de Assis Pereira



Uma Contribuição ao “Xadrez da Maçonaria no Brasil (parte 1)
por Luiz Claudio de Assis Pereira
Este artigo não tem a menor pretensão de encerrar um assunto que é cercado de tantos mistérios e, por isso, tão polêmico. A intensão é que ele possa, sim, contribuir com o debate iniciado pelo Jornal GGN em torno da atuação política da Maçonaria no Brasil.
Ao tentar fazer uma análise imparcial sobre tema de tamanha complexidade há que se considerar a grande dificuldade em se abordar uma instituição que, oficialmente, acaba de completar 300 anos de existência, e que possui inúmeros matizes, caracterizados não só pelos diversos ritos adotados, mas principalmente pelo livre pensar de seus integrantes. Além, é claro, do enorme secretismo que a rodeia. Fato real, concreto; infelizmente, porém, costumeiramente, negado pela mesma, que insiste em se dizer “discreta”, e não “secreta”.
Mas antes de iniciarmos esta jornada, vale dizer que, apesar de muitos de nós não gostarmos do modo de vida que as pessoas levam atualmente, de certo, não fosse a atuação persistente dos maçons no mundo ocidental, a liberdade de pensar e de agir que temos nos dias de hoje, tanto quanto o desenvolvimento das artes e da ciência que conseguimos alcançar, estariam seriamente comprometidos e seriam, certamente, em muito limitados.
No entanto, procuraremos aqui demonstrar que o que os maçons fazem hoje em dia é tão perverso quanto o que a Igreja Católica fazia na Idade Média. Há, porém, uma grande diferença, tanto na forma de atuação, quanto no conteúdo, pois, ao invés da aliança clara e transparente que havia entre as elites medievais (que se impunham pela força), e a Igreja Católica (que desejava manter o “monopólio da fé”), temos agora uma aliança oculta estabelecida entre governantes “democraticamente” eleitos e uma entidade que aceita as mais diferentes crenças religiosas.
E o que é pior: mesmo quando se quebra, como em 1964, ou se pretende quebrar, como agora, a “ordem democrática”, é ela, a Maçonaria, que está sempre à frente, ou, mais apropriadamente, por trás desse processo. (vide Peça 1 do Xadrez).
Detalhe: não foi só o general Mourão que deu palestra no Grande Oriente do Brasil. O próprio comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas, igualmente fardado, esteve lá falando de forma mais amena, mas, ainda assim, dando uma interpretação muito peculiar sobre o artigo 142 da Constituição.
Veja o vídeo da fala do general Villas Bôas e a matéria da Folha de São Paulo no link abaixo:
Essa forma de atuação dissimulada facilita muito as coisas, tanto para a Maçonaria, quanto para os membros dos três poderes (executivo, legislativo e judiciário) a ela associados, pois, resulta numa relação “invisível” para a grande maioria da população; ao mesmo tempo, em que a aliança formada entre eles dispõe de um “olho que tudo vê” espalhado por todo canto.
Nesse contexto, denunciar a relação perniciosa que existe entre a Maçonaria e os poderes constituídos é tarefa das mais difíceis, até porque não se pode, pra isso, contar com a grande mídia, tendo em vista que a mesma é o principal pilar de sustentação de todo o esquema.
A questão central que se apresenta, e que iremos abordar nas próximas partes deste artigo, é: nossas vidas ainda precisam ser conduzidas por uma minoria que julga ser a única herdeira de tudo que foi conquistado ao longo de séculos de esforço e sofrimento de tantas pessoas? Teriam eles recebido algum dom divino para liderar os pobres mortais profanos?
Os avanços do mundo ocidental nos últimos séculos
Quem hoje vê a figura carismática do papa Francisco talvez não consiga nem imaginar que, muito antes do descobrimento da América, houve um tempo em que a cúpula da Igreja Católica perseguia e, não raro, punia severamente as pessoas que não pensassem como ela (ou como ela queria). Tudo com apoio incondicional da realeza da Europa da Idade Média.
Assim foi que, em 1209, por acreditarem na existência de dois deuses, pelo menos 7.000 cátaros, que habitavam o que hoje é o sul da França, foram brutalmente assassinados por tropas de um exército reunido pela Igreja Católica, no que ficou conhecido como o Massacre de Béziers, na única cruzada organizada contra cristãos, a Cruzada Albigense.
Curiosamente, os dois deuses do catarismo foram tirados da própria Bíblia. Os cátaros acreditavam que o Novo Testamento trazia a mensagem de um Deus bom, criador do reino espiritual, enquanto que o Antigo Testamento descrevia um Deus mau, criador do mundo físico. Eles rejeitavam o conceito de inferno, pois, para eles, o equivalente a este seria o próprio mundo em que vivemos. Assim, julgavam que as almas humanas eram almas de anjo sem sexo, aprisionadas dentro do corpo humano e condenadas à reencarnação até que alcançassem a salvação e, por essa razão, pregavam a pobreza, e até mesmo a castidade, e outros valores que ajudariam as pessoas a se distanciarem do mundo material.
Por mais de cem anos após o massacre de 1209, o movimento cátaro continuou sendo perseguido, mas ainda assim resistiu, devido à organização e à milícia armada que possuía.
Por conta da existência de muitos seguidores do catarismo (espalhados pelo que hoje é a França, Itália, Alemanha, Inglaterra e Catalunha), a Igreja Católica decidiu estabelecer os tribunais da Santa Inquisição, quando, então, os castigos impostos aos “hereges” tomaram proporção de extrema crueldade.
Alguns historiadores afirmam que a Inquisição Medieval, criada contra os cátaros, suspeitava da ligação entre estes e os judeus cabalistas (um ramo místico-esotérico do judaísmo), de quem teriam recebido influência. Outros, ainda, consideram que os cátaros tiveram contato direto com os Cavaleiros Templários, sendo uns influenciados pelos outros.
O fato é que durante a Santa Inquisição, tantos os cátaros, quanto os judeus (cabalistas ou não) e, mais adiante, os próprios Templários, foram duramente castigados, tendo muitos deles sido atirados em fogueiras e queimados vivos em praça pública. O mais reverenciado exemplo para os maçons, último grão-mestre da Ordem dos Cavaleiros Templários, Jacques de Molay, se tornou patrono da uma ordem iniciática para jovens do sexo masculino.
Pois bem, essa situação se manteve sem grandes alterações até que, finalmente, em outubro de 1517, ou seja, há exatos 500 anos, Martin Lutero conseguiu romper de vez o paradigma de não poder pensar diferente da Igreja Católica. Mas esta, ainda assim, permaneceu exercendo, até a Revolução Francesa, forte influência sobre a realeza em quase toda a Europa. Assim foi que, em 1542, como resposta ao avanço do protestantismo, a Igreja Católica criou uma versão ampliada da Inquisição Medieval.
É nesse cenário que a Maçonaria, tal como a conhecemos nos dias de hoje, se desenvolveu. Desse modo, não há por que se surpreender com o fato dela ter sido concebida como uma “sociedade secreta baseada nos ensinamentos da cabala judaica e em princípios que orientaram a criação do movimento cátaro, bem como, na experiência adquirida pelos Cavaleiros Templários, não só, mas em especial, quanto à gestão de um sistema bancário”.
O grande mérito da Maçonaria, portanto, foi justamente livrar a sociedade ocidental do cerceamento exercido pela Igreja Católica sobre todas as formas de pensamento e manifestação não só político-religiosa, como também, na ciência, nas artes, na cultura, etc. Não fosse isso, talvez ainda estivéssemos a pensar que a terra é o centro do sistema solar.
No próximo capítulo iremos detalhar como a Maçonaria atua dentro dos partidos políticos em outros países e como o que é feito lá é muito semelhante ao que é feito aqui no Brasil. Falaremos também como a imprensa estrangeira costuma tratar a ingerência da Maçonaria na política nacional e, nesse caso, como o que é feito lá é bem diferente do que é feito aqui.

Uma Contribuição ao “Xadrez da Maçonaria no Brasil (parte 2), por Luiz Claudio de Assis Pereira


Uma Contribuição ao “Xadrez da Maçonaria no Brasil (parte 2)
por Luiz Claudio de Assis Pereira

Ao iniciarmos esta segunda parte, vale reafirmar que a intenção deste artigo é contribuir com o debate iniciado pelo Jornal GGN em torno da atuação política da Maçonaria no Brasil.
Fica a sugestão para os que não tiveram a oportunidade de ler a parte 1 deste artigo, ou o “Xadrez da Maçonaria no Brasil”, de Luís Nassif, que o façam, de preferência antes desses.
Nesta parte 2, iremos detalhar como a Maçonaria atua dentro dos partidos políticos, dando como exemplo os casos da França e de Portugal. e mostraremos como a imprensa estrangeira trata a ingerência da Maçonaria na política interna de cada um desses países.
Que conservadora, que nada! A Maçonaria atua na direita, na esquerda, no centro ...Sendo uma instituição que possui inúmeros matizes, caracterizados não só pelos diversos ritos adotados, mas principalmente pelo livre pensar de seus integrantes, a Maçonaria enseja linhas de pensamento das mais diversas, tanto do ponto de vista religioso, quanto ideológico.
Mesmo assim, é possível reconhecer, pelo menos, duas grandes correntes ideológicas (uma mais conservadora e outra mais progressista), ainda que as mesmas possam ter uma atuação que, dentro do espectro político, varia conforme a necessidade de alcançar ou de se manter no poder. Na Maçonaria, a ideia de que “os fins justificam os meios” é levada muito a sério.
A mais conservadora é a corrente liderada pela Grande Loja Unida da Inglaterra. Essa corrente é, internacionalmente, reconhecida como sendo a Maçonaria Regular, simplesmente porque é a que segue fielmente os 12 Pontos de Regularidade que ela mesma definiu. Daí que, somente as “obediências maçônicas” que adotam estes 12 Pontos são reconhecidas como tal. É como obter um certificado ISO 9000, após uma rigorosa auditoria.
Essas também chamadas 12 Regras estabelecem, entre outras coisas, que somente pessoas do sexo masculino podem ser admitidas na Maçonaria Regular. Além disso, essas pessoas devem acreditar num Deus, cabendo a cada maçom a sua concepção do Criador, a religião que professa e a forma como o faz. Na Maçonaria Regular não se admite que haja, dentro do ambiente maçônico, qualquer discussão controversa sobre política e religião. Fora dele pode.
A estrutura da Maçonaria Regular é bastante hierarquizada, havendo inclusive Distritos Regionais que agrupam Obediências de diferentes países. O GOB – Grande Oriente do Brasil, fundado em junho de 1822 como a primeira obediência maçônica da América Latina, está ligado ao Distrito América do Sul Divisão Norte da Grande Loja Unida da Inglaterra.
No site, você pode acessar informações detalhadas sobre a estrutura e forma de atuação da Grande Loja Unida da Inglaterra. Lá você vai ver que além do Grande Oriente do Brasil, também são reconhecidas pela UGLE (sigla em inglês da Grande Loja Unida da Inglaterra), as obediências maçônicas dos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Espírito Santo e Mato Grosso do Sul.
Observação Importante: muitas outras obediências maçônicas estaduais, igualmente denominadas como Grande Oriente, se consideram Regulares, mas não são assim reconhecidas pela Grande Loja Unida da Inglaterra. Elas estão agrupadas na COMAB - Confederação Maçônica do Brasil. Além desta, uma outra grande organização maçônica brasileira é a CMSB - Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil, que reúne as Grandes Lojas  de todos os Estados brasileiros.
Voltando ao GOB, vale destacar sua inserção na Maçonaria Internacional. Exemplo disso foi dado na reunião anual de 2014 do Distrito América do Sul Divisão Norte, na qual “a novidade desse ano foi à gravação de um vídeo sobre as atividades da maçonaria inglesa no Brasil”. 
Pois bem, o tal vídeo foi idealizado por um cidadão inglês de nome Colin V. Foster. Ele é o Grão-Mestre do Distrito América do Sul Divisão Norte, ou seja, é ele quem “chefia” o Distrito ao qual o GOB está subordinado. No mais, o Sr. Foster é tão somente o marido de Graça Foster, a mesma que, entre 2012 e 2015, foi presidente da Petrobras nos governos Dilma.
No site http://ugle.org.uk/about/whos-who, você vai ver que o “chefão” da UGLE é o Duque de Kent, Príncipe Edward George Nicholas Paul Patrick, primo da Rainha Elisabeth. Pergunta para reflexão: quem pode garantir que, diante da posição exercida pelo Sr. Colin Foster na Grande Loja Unida da Inglaterra, não esteja aí caracterizado um “conflito de interesses”?
A corrente ideológica progressista é denominada Maçonaria Liberal, ou Irregular, como preferem os membros da Grande Loja Unida da Inglaterra. O expoente desta linha é o GODF - Grande Oriente de França. Não confundir com a GLNF - Grande Loja Nacional Francesa, que, por ser ligada à Grande Loja Unida da Inglaterra, pertence à Maçonaria Regular.
A Maçonaria Liberal e Adogmática é assim chamada justamente por não estabelecer regras tão rígidas quanto as que a Maçonaria Regular estabelece, pois, diferentemente desta, a Maçonaria Liberal admite pessoas de ambos os sexos, bem como, ateus e agnósticos. Ela também não só permite, como incentiva, o debate político e defende a postura da maçonaria como organização civil, livre de dogmas. Aparentemente, não existe dentro da Maçonaria Liberal uma estrutura tão bem organizada e hierarquizada quanto a da Maçonaria Regular.
Por outro lado, em relação aos ritos, o de York é bastante difundido nos EUA (país que sozinho congrega mais da metade dos maçons do mundo inteiro); enquanto que o Rito Escocês Antigo e Aceito e o Francês Moderno (ou apenas Rito Moderno) são os que prevalecem no continente europeu. Os três juntos reúnem quase a totalidade dos obreiros.
Apesar de não ser o mais praticado o Rito Escocês Antigo e Aceito é o mais organizado, contando, em vários países, com um Supremo Conselho do Grau 33, onde só os membros de mais alto nível se reúnem. Na prática, é como se existisse uma maçonaria dentro da outra.
Vale a pena dar uma olhada no luxo da sede do Supremo Conselho do Grau 33 nos EUA, a “House of the Temple”. Tem até um museu dedicado a Albert Pike, um dos mais proeminentes da história. A brasileira também é bem estruturada. http://sc33.org.br/sede/
Dito isso, vamos, então, a dois exemplos de atuação da Maçonaria no exterior, pra depois voltarmos o foco para o Brasil. A intenção é mostrar que, tanto lá, quanto aqui, a Maçonaria está presente em (quase) todos os partidos políticos, seja de direita, esquerda ou centro.
Veja no link abaixo, quais as relações que os diversos candidatos à presidência da França em 2012 mantinham com a Maçonaria. Repare que todos os principais candidatos têm contato muito estreito com maçons politicamente bastante influentes. Alguns deles com contato nas duas grandes correntes ideológicas citadas (o GODF e a GLNF). Essa informação foi obtida junto a uma das melhores fontes sobre a (e da própria) Maçonaria: o “bibliot3ca.wordpress. E veja como o vencedor das eleições de 2012, François Hollande, montou seu governo.
Ainda na França, um caso bastante interessante é o do candidato de extrema esquerda à presidência, Jean Luc Mélenchon, que foi o quarto mais votado nas eleições de 2012 com 11,1% e que, em 2017, chegou na mesma posição mas com um melhor resultado (19,6%).
No link a seguir, temos o vídeo de uma palestra que ele deu numa Loja Maçônica durante a campanha presidencial de 2012. No mesmo link, não deixem de ouvir, uma gravação de < 3 min. na qual ele procura dissimular sua condição de membro da Maçonaria.
Mas, vamos deixar a França, pois muitos podem achar que é uma realidade muito distante da nossa. E é, realmente. Proponho, então, nos compararmos a Portugal.  Vejamos como a Maçonaria está infiltrada nos diversos partidos e como a ingerência da Maçonaria na política portuguesa é tratada pelos nossos amigos lusitanos. Para isso, sugiro “perder” não mais que 13 min. para ver uma reportagem feita pela RTP – Rádio e Televisão de Portugal, que, diga-se de passagem, é uma empresa estatal que concorre de igual pra igual com os canais privados. Olhem como o assunto é levado ao conhecimento do público português em horário nobre.
Tal como na França, em Portugal temos lá representadas as duas principais correntes ideológicas, sendo o GOL - Grande Oriente Lusitano, ligado à linha Liberal (progressista) e a GLRP ou GLLP - Grande Loja Legal de Portugal, ligada à Maçonaria Regular (conservadora).
Reparem que há disputa por influência política não só entre as duas grandes correntes ideológicas (GOL e GLLP), mas até mesmo entre Lojas que pertencem à mesma Obediência.
Destaco ainda duas coisas: o escândalo causado por um maçom, chefe do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa, acusado de passar informações classificadas (sigilosas) e a definição dada por um dos entrevistados: “o problema da maçonaria é associar pessoas com interesses que funcionam em unidade nas instituições onde exercem a sua influência”.
 
Reparem também que um dos políticos maçons entrevistados, o ministro da Cultura de Portugal, João Soares, filho do falecido ex-presidente e ex-primeiro ministro Mário Soares, admite que a Maçonaria portuguesa é, politicamente, menos atuante do que as do Brasil, Estados Unidos e Inglaterra. Ele pode (e deve) estar falando isso pra disfarçar a forte presença da Maçonaria na política portuguesa, mas, ainda assim, é algo a ser investigado. Fica aí a sugestão para aqueles que atuam no chamado “jornalismo investigativo” no Brasil.
 
Vou pedir paciência aos que duvidam da influência política da Maçonaria no nosso país, pois o espaço acabou e vou ter que deixar para mostrar na parte 3 provas de que isso realmente acontece, mesmo sabendo que, ainda assim, muitos vão achar que são apenas indícios. Para esses, deixo a seguinte pergunta: por que aqui no Brasil seria diferente do que acontece em outros países, se os maçons sempre estiveram à frente dos principais fatos políticos de nossa história, desde antes da Independência? Teriam eles abdicado da sua atuação política?


Uma Contribuição ao “Xadrez da Maçonaria no Brasil (parte 3)
por Luiz Cláudio de Assis Pereira
Ao iniciarmos esta terceira parte, deixo já a sugestão para os que não tiveram a oportunidade de ler as partes 1 e 2 deste artigo, ou mesmo o “Xadrez da Maçonaria no Brasil”, de Luís Nassif, que o façam, de preferência antes dessa.
Nesta parte 3, iremos detalhar como a Maçonaria atua dentro de (quase) todos os partidos políticos no Brasil e por consequência, nos poderes executivo e legislativo. E deixaremos no ar a seguinte pergunta: por que a imprensa brasileira não trata essa questão da mesma forma que o faz a imprensa estrangeira?
Sob esse aspecto, volto a pedir para que vocês vejam como a ingerência da maçonaria é tratada em Portugal. Segue, então, um vídeo de não mais que 13 min. de uma reportagem feita pela RTP - Rádio e Televisão de Portugal, que, diga-se de passagem, é uma empresa estatal que concorre de igual pra igual com os canais privados. Vejam como o assunto é levado ao conhecimento do público português em horário nobre. Não é de madrugada, não! (RTP: Maçonaria infiltrou todos os governos da era democrática)
Muito se comenta, e é verdade, que não existe uma única maçonaria no Brasil (nós falamos sobre isso na parte 2), mas não há como negar que o GOB - Grande Oriente do Brasil, (fundado em junho de 1822 como a primeira obediência maçônica da América Latina), ligado, oficialmente, ao Distrito América do Sul Divisão Norte da Grande Loja Unida da Inglaterra, é a mais representativa obediência maçônica brasileira.
É também inegável que o GOB é uma instituição conservadora. Mas, apesar disso, o Grande Oriente do Brasil abriga entre seus membros pessoas que, ideologicamente, se posicionam mais à esquerda. Para tanto, vamos mostrar, mais uma vez, a já famosa lista de 110 maçons ilustres do GOB. Ressalte-se que essa lista foi feita por um membro do próprio GOB. (Vide “Uma pausa pra falar da Maçonaria X Intervenção”, neste Jornal GGN).
Vejam que a maçonaria está presente em (quase) todos os partidos políticos (sejam eles de direita, esquerda ou centro). Veja também que nomes como os dos petistas Antônio Palocci, João Paulo Cunha (ex-presidente da Câmara Federal), Luís Eduardo Greenhalgh e Tião Vianna, atual governador do Acre e irmão do senador Jorge Viana (além de outros políticos considerados de esquerda como Alceu Colares, Aldo Rebelo e Fernando Gabeira), estão ao lado de políticos de toda classe (ideológica).
Vamos por ordem alfabética (dos anos 50 pra cá): Ademar de Barros, Almir Pazzianotto, Álvaro Dias, Antônio Carlos Magalhães, Ciro Gomes, Divaldo Suruagy, Enéas Carneiro, Ernesto Geisel, Esperidião Amin, Fernando Collor, Fernando Henrique Cardoso, Francisco Dornelles, Geraldo Alckmim, Germano Rigotto, Gilberto Kassab, Gilmar Mendes (por que não?), Golbery do Couto e Silva, Jânio Quadros, João Batista Figueiredo, José Roberto Arruda, José Serra, Mário Covas, Michel Temer, Mozarildo Cavalcante, Newton Cardoso, Orestes Quércia, Paulo Maluf, Renan Calheiros, Roberto Jéferson, Roberto Requião e Valdir Raupp.
Que lista, não? Pena que o autor da mesma resolveu priorizar nomes de artistas, caso contrário, sobraria espaço para incluir outros políticos, talvez nem tão famosos, mas, ainda assim, muito atuantes, como Wagner Rossi, ex-ministro da Agricultura dos governos Lula e Dilma, e seu filho, Baleia Rossi, atual líder do PMDB na Câmara dos Deputados, em Brasília.
Também valeria a pena incluir nessa lista um sujeito chamado Demóstenes Torres. Dá pra acreditar que um cara como esse, ainda enquanto senador, deu palestra no “Templo Nobre do Grande Oriente do Estado de Goiás” com o sugestivo título "A Favor da Moralidade - Contra a Corrupção"? (Demóstenes Torres é maçom?)
Sem levar em conta que muitos dos políticos citados passaram por mais de um partido, temos aí representados nesta lista a seguintes agremiações: PT, PCdoB, PSDB, PMDB, DEM (ex-PFL), PP, PTB, PDT, PSD, PODEMOS (ex-PTN), e um tal PTC - Partido Trabalhista Cristão de Fernando Collor de Mello. Todos esses partidos estão representados no conservador GOB.
Então, o que se passa? Ora, é muito simples. Percebendo o risco de perder a hegemonia, e não havendo melhor alternativa para se manter no poder, a maçonaria, ou uma parte dela, não hesitará em “cair para a esquerda”, como foi o caso da aliança de um partido ultraconservador como o PL - Partido Liberal de José Alencar e Valdemar Costa Neto com o PT em 2002. Só que, antes mesmo do primeiro turno, é preciso tranquilizar as elites, fazendo o candidato “progressista” assumir compromissos não tão progressistas assim. Vide a “Carta ao Povo Brasileiro” o que disse dela o Sr. Emílio Odebrecht, quinze anos depois, já com a operação Lava Jato em curso.
Nos planos estadual e municipal, isso também ocorre, dentro, é claro, daquilo que afeta a oligarquia local, qual seja, a manutenção do status quo, principalmente, em relação à licitação de obras públicas e à concessão de serviço público nas áreas de transporte, coleta de lixo, alimentação escolar, etc. Mas isso vou deixar para os jornalistas investigativos locais.
Cabe aqui uma menção (honrosa) a um grupo muito pequeno de pessoas que se identificam como integrantes da maçonaria progressista brasileira. É um grupo, realmente muito pequeno, mas de qualquer forma, vale destacar e reconhecer a luta que travam por suas ideias e seus ideais. 
Pra quem tiver tempo, vale a pena conhecer a opinião de um maçom consciente sobre o posicionamento das duas alas, conservadora e progressista, na eleição presidencial de 2014. Os comentários feitos ao final do artigo também são muito bons, apesar de extensos. 
Bom, vem aí a eleição presidencial de 2018. E já temos vários políticos da lista dos 110 ilustres lançando a sua candidatura, a saber: Álvaro Dias, Ciro Gomes e Geraldo Alckmim. Na verdade, Geraldo Alckmim não é maçom. Ele é da Opus Dei, outra sociedade secreta, ligada à ala ultraconservadora da Igreja Católica.
Por que será que eles não mostram, em suas campanhas na televisão, que estiveram palestrando em uma Loja maçônica?  Vejam os candidatos Aécio Neves e Geraldo Alckmim em visita à Grande Loja Maçônica do Estado de São Paulo. Melhor fez o José Serra que, embora não diga que faça parte, ao menos, colocou na TV a homenagem que prestou à “família maçônica”. 

Vejam também o candidato Álvaro Dias palestrando no “Templo Nobre da Grande Loja Maçônica do Estado de São Paulo” no dia 08 de julho do ano passado, quando foi apresentado como maçom, iniciado em 23 de novembro de 1974 e placetado (?) em 25 de setembro de 2012 na Loja “Apóstolo da Caridade” em Curitiba, loja essa que segue o Rito Escocês Antigo e Aceito. 
O candidato Ciro Gomes ainda não deixou escapar nenhum vídeo na internet. Mas, certa vez, por ocasião da briga do irmão Cid Gomes com Eduardo Cunha chegou a comentar que: “falar a verdade nesse país custa muito caro”. Eu, sinceramente, espero que não.
Não é só aqui, no mundo inteiro é assim, a maioria dos políticos esconde a condição de integrante da maçonaria. Vide o caso do candidato da extrema esquerda à presidência da França, Jean Luc Mélenchon
Mas, por que será que os políticos maçons agem desse jeito? Afinal, não deveria ser uma honra pertencer à maçonaria? Um grupo tão seleto de pessoas de bem. De “homens livres e de bons costumes”, como eles se auto proclamam? Por que não se apresentar como tal?
Então, voltamos à pergunta inicial: e por que a imprensa brasileira não trata a ingerência da maçonaria na política brasileira da mesma forma que o faz a imprensa estrangeira? O que se passa? Não sabem disso? Com a palavra os nossos jornalistas investigativos independentes.

Uma Contribuição ao “Xadrez da Maçonaria no Brasil (parte 4)
por Luiz Cláudio de Assis Pereira
Ao iniciarmos esta quarta parte, deixo aqui, para os que não tiveram a oportunidade de ler as partes 1, 2 e 3 deste artigo (links no final do texto), ou mesmo o “Xadrez da Maçonaria no Brasil”, de Luís Nassif, a sugestão de que o façam, de preferência antes dessa.
Hoje iremos detalhar como a Maçonaria atua politicamente a nível estadual e municipal.
Primeiro, vamos mostrar como que “entra governo, sai governo”, seja de que partido for, a Maçonaria sempre estará no poder, diretamente, através do integrante de uma Loja (por sinal, o modo preferido pela “Ordem”), ou através de um amigo de estrita confiança, indicado por um membro de alta patente, que empresta a esse amigo todo o seu prestígio.
E o exemplo que vamos passar vem do Estado do Mato Grosso do Sul. Um Estado bastante interessante, do ponto de vista “maçônico”, visto que o mesmo foi criado em 1977 atendendo interesses da Maçonaria. Nada muito diferente do que aconteceu em 1988, quando criaram o Estado do Tocantins, e do que vai acontecer com o Estado do Pará.
Então, vamos ver o que temos sobre os três últimos governadores deste Estado.
Pra começar, a foto do atual governador, Sr. Reinaldo Azambuja, do PSDB, o mesmo que recebeu Michel Temer neste fim de semana para assinatura de um decreto atendendo interesses da bancada ruralista com o firme propósito de livrá-lo da 2ª denúncia da PGR.
Depois, temos do ex-governador, o Sr. André Puccinelli, do PMDB, que precedeu ao Sr. Reinaldo Azambuja, do PSDB, uma foto semelhante a esta, anexada a uma matéria feita por um blog maçônicoe um vídeo onde o Sr. André Puccinelli, alvo da Operação Lama Asfáltica da PF, na qual seu aliado político, o ex-deputado federal Edson Giroto (PR), foi preso. Neste vídeo, Puccinelli aparece em “reunião” com funcionários públicos, passando “orientações administrativas”. Vejam vocês! 
Temos também uma foto do ex-governador, Sr. Zeca, do PT, que precedeu ao Sr. Puccinelli, do PMDB, tirada “na solenidade onde o querido amigo Ovalto foi agraciado com Grau 33° da Maçonaria”. Lembrando que o grau 33 é o mais alto posto do Rito Escocês Antigo e Aceito.
Portanto, se o Sr. Zeca do PT não for maçom, como são os Srs. André Puccinelli e Reinaldo Azambuja, ele, o Sr. Zeca, se enquadra, perfeitamente, no segundo caso, qual seja, a do “amigo de um maçom de alta patente, que a ele empresta todo o seu venerável prestígio”.
Vale destacar que são políticos de três partidos diferentes: um de esquerda (PT), um de direita (PSDB) e um de não sei o que (PMDB).
Por último, uma matéria com Wesley, irmão sem aspas do Joesley da JBS, acusando estes mesmos três governadores de “participação num esquema” em troca de redução de ICMS.
Passemos para o Distrito Federal. O que temos lá. Primeiro a foto do ex-governador José Roberto Arruda (aquele do mensalão do DEM), junto ao senador Mozarildo Cavalcanti (PTB), ambos incluídos pelo GOB na lista dos 110 maçons ilustres deste Grande Oriente do Brasil.
Trata-se de matéria da revista Época, intitulada “Arruda e a crise na Maçonaria”.
A matéria aponta “suspeitas” sobre a Fundação Gonçalves Lêdo, vinculada à maçonaria e que fechou convênios, sem licitação, de quase R$ 30 milhões com o Governo do Distrito Federal.
Interessante observar como essa matéria destaca o fato de um membro da maçonaria estar batendo de frente com o Arruda como se a instituição quisesse “passar a limpo” o ocorrido.
Temos também um discurso feito da tribuna do Senado em 2011, pelo mesmo senador Mozarildo, que chegou a ser candidato à presidência do Grande Oriente do Brasil em 2013, prestando homenagem aos 40 anos de fundação do Grande Oriente do Distrito Federal.
Nesse discurso são citados como maçons vários políticos e membros do Judiciário, entre eles o ex-vice-governador do DF na gestão Agnelo Queiroz (PT), Sr. Nelson Tadeu Filipelli (PMDB).
Vale lembrar que os dois, Tadeu Filipelli e Agnelo Queiroz, juntos com José Roberto Arruda, chegaram a ser presos pela Polícia Federal na Operação Panathenaico, acusados de desvio de quase um bilhão de reais das obras do Estádio Mané Garrincha, um dos maiores ídolos da história do futebol brasileiro. Ironicamente, um Mané que nem sepultura decente recebeu.
Dizia o agora ex-senador Mozarildo: "... dentre elas o Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministro Antônio Cezar Peluso; o Vice-Governador do Distrito Federal, que é maçom, Nelson Tadeu Filippelli; o Vice-Presidente do Superior Tribunal de Justiça, também maçom, Ministro Félix Fischer; o Ministro do Superior Tribunal de Justiça, também maçom, José de Jesus Filho; o Desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, também maçom, Lécio Resende da Silva; este Senador da República ..."
E quem é o Sr. Tadeu Filippelli? Bom, além de ex-vice-governador do DF, ele é presidente regional do PMDB do Distrito Federal, e era, até ser preso pela PF (depois foi solto), assessor especial da Presidência da República, despachando no 3º andar do Palácio do Planalto junto ao presidente Michel Temer.
Aí estão mais três nomes e mais uma vez a mesma situação: dois deles (o Arruda e o Filipelli), flagrados sem ter como negar sua pertença aos quadros maçônicos, e um terceiro (o Agnelo), que, se não é maçom, tem, ao menos, um amigo maçom (e de alta patente, claro). E, mais uma vez, tal como no caso do Mato Grosso do Sul, os três são de três partidos diferentes: um de esquerda (PT), um de direita (DEM) e um de não sei o que (PMDB).
Por falar nisso, temos um outro assessor especial de Michel Temer que também despachava no 3º andar do Palácio do Planalto. Ele é conhecido como Sandro Mabel, um dos homens mais ricos de Goiás. Mas o nome dele mesmo é Sandro Antônio Scodro, ex-deputado federal pelo PMDB, autor do PL 4330/2004 que regulamentou a terceirização.
Depois da delação do Joesley, ele deixou a função de assessor presidencial e nem precisou pedir demissão, pois estava "trabalhando" de graça no Palácio do Planalto. No link, você poderá ver a foto do Sr. Sandro Mabel no nº 235 da lista de “obreiros”.
Ainda sobre os assessores palacianos de Michel Temer, vale destacar o Sr. Rocha Loures do PMDB. Mas vamos deixar pra falar sobre o “Zé Alencarzinho do Paraná” quando formos detalhar a relação do ex-presidente Lula com a Maçonaria. Por hora, fica só o registro. OK?
Um dos Estados onde a Maçonaria se mostra politicamente bastante atuante é o Estado de São Paulo. Todo Grande Oriente Estadual tem dentro da sua estrutura um grupo de políticos maçons que forma a sua Assessoria Parlamentar. O interessante no caso do GOSP é que o próprio vice-governador do Estado, Sr. Márcio Luiz França Gomes (PSB) faz parte dessa assessoria. Além dele, estão lá, o deputado federal Baleia Rossi (PMDB), líder do PMDB na Câmara, filho de Wagner Rossi, ex-ministro da agricultura de Lula e Dilma; o ex-prefeito de Ribeirão Preto, Welson Gasparini (PSDB) e o dep. estadual Itamar Francisco Borges (PMDB).
Muitos maçons afirmam não haver atuação política articulada dentro da Maçonaria. Então, para os incrédulos, temos, no link abaixo, como as três “obediências maçônicas” do Estado de São Paulo trabalharam nas eleições municipais de 2012. Juntaram-se GOSP - Grande Oriente de São Paulo, GLESP – Grandes Lojas de São Paulo e GOP – Grande Oriente Paulista para formar o GEAP – Grupo Estatual de Ação Política da Maçonaria Paulista.
Interessante observar que, além dos diversos partidos tradicionalmente alinhados à direita, o GESP apoiou diversos candidatos do Partido dos Trabalhadores, dois quais destacamos os casos:
- o de São Paulo (capital), onde dois candidatos a vereador pelo PT, o “irmão” Luiz Carlos Corrêa Mendonça, vulgo “Marronzinho do Trânsito” e o Sr. Carlos Augusto Sousa Silva, receberam apoio da maçonaria paulista junto com o “irmão” Mario Covas Neto, do PSDB;
- e o de Ribeirão Preto, onde dois candidatos a prefeito foram apoiados pela Maçonaria paulista, um pelo PSDB, o “irmão” Antônio Duarte Nogueira Junior, e outro do PT, o também “irmão” João Agnaldo Donizeti Gandini.
Mas, não é só isso. Muitos outros candidatos do PT foram apoiados pelo GEAP:
- em Araraquara, o “irmão” Nicolau Waldemar Lambort,  candidato a vereador;
- em Campos do Jordão, o “irmão” Pr. Jesus Anacleto Rosa, candidato a vice-prefeito;
- em Jacareí, o “irmão” Adel Charaf Eddine, candidato a vice-prefeito;
- em Lucélia, o “irmão” José Fernando de M. Mendonça, candidato a vice-prefeito;
- em Santo André, o Sr. Waldir Persona, candidato a vereador;
- em São José do Rio Preto, o “irmão” Marcos Antonio Ferreira, candidato a vereador;
- em São Vicente, o “irmão” Dr. Ulisses R. Morozetti Martins, candidato a vereador.
Pior que depois de todo o trabalho feito em 2012, em julho de 2016, já com o país fervilhando em denúncias de corrupção, inclusive contra o governador apoiado pela Maçonaria paulista, o jornal “O Estado de São Paulo” publica um artigo do Grão Mestre Estadual do GOSP, Sr. Benedito Marques Ballouk Filho, onde ele, como “representante de mais de 24 mil maçons presentes em centenas de municípios paulistas”, tem a coragem de escrever o seguinte: “... fazendo parte desse coro que clama por medidas emergenciais de mudança, ... a Maçonaria do Estado de São Paulo busca seu protagonismo e o resgate do seu passado histórico de lutas e conquistas para a construção da nossa Pátria.”
A que “resgate do passado histórico”, o Sr. Ballouk Filho está se referindo? E que “reinserção” é essa? Será que é aquela que ele articulou em 2008 para a criação da Petrobras Biocombustíveis, onde conseguiu abrigar uma penca de “irmãos maçons petroleiros”, já citados aqui no Jornal GGN (vide “Xadrez da Maçonaria no Brasil”, por Luís Nassif)?
Mas, sobre isso, voltaremos com detalhes em outra oportunidade. Por hora, é só.
===================================================
Vou agregar outras coisas mais antigas:

A Maçonaria e seitas externas estão segurando Temer no poder com projetos de escravizar brasileiros
=====================================================


Decifrando a maçonaria

Sim, eles já foram os donos do mundo. Mas não têm planos para uma Nova Ordem Mundial. Saiba o que é verdade e o que é mentira sobre os maçons, tema de O Símbolo Perdido, novo best seller do polêmico Dan Brown

31 out 2016, 19h02 - Publicado em 1 maio 2011, 22h00
Por Tiago Cordeiro
Em um salão, senhores conversam sobre atualidades e amenidades. A noite termina com um jantar descontraído, alguns até acompanham a novela de relance. Normal, não fossem os chapéus e aventais com símbolos milenares, as colunas gregas e as imagens de sóis e luas. Mas, além das roupas e da decoração esquisitas, há uma diferença mais importante. Todos têm compromisso de ajudar uns aos outros, e vários têm como: são empresários, advogados, formadores de opinião. Por falar em opinião, tudo que é debatido ali fica entre aquelas 4 paredes – sem janelas, como toda loja maçônica.
A maçonaria pode não ter mais a influência de quando liderava revoluções e fundava países, mas continua atiçando a imaginação. Sabe-se que para entrar no clube é preciso ser homem e acreditar em algum deus, e pouco mais que isso. O maior best seller de 2009, O Símbolo Perdido, de Dan Brown, joga com essa curiosidade, decifrando quebra-cabeças maçons espalhados por Washington (resumo comentado na pág. 72).
Conforme esperado, a 3ª aventura de Robert Langdon (herói dos romances Anjos & Demônios e O Código Da Vinci) obteve ótimas vendas e péssimas resenhas. Mas há uma crítica nova: dessa vez, Brown é acusado de não revelar tudo o que sabe. Uma colunista do New York Times insinuou que o autor teria sido silenciado pela sociedade secreta. Será que a maçonaria tem poder para amedrontar o maior vendedor de livros do mundo? E que mistérios ela teria para revelar?
A aura de mistério acompanha os maçons desde a sua origem. Origem, aliás, que vem sendo criativamente recuada: alguns maçons incluem entre seus antecessores guerreiros das cruzadas, arquitetos do templo do rei Salomão e até os egípcios responsáveis pelas pirâmides (importantíssimas em O Símbolo Perdido). Realmente, os maçons surgiram em canteiros de obras, mas já no fim da Idade Média, na Inglaterra. Daí o nome deles: mason – se diz “mêisson” – era o termo para pedreiro em inglês.
Mas os pedreiros da época equivaliam a arquitetos, engenheiros, empreiteiros. Para não perderem a hegemonia na construção civil, militar e religiosa, eles mantinham em segredo os macetes da profissão, passados só aos aprendizes mais confiáveis e em ocasiões especiais. Com o tempo, essas aulas viraram fóruns, atraíram gente de fora e foram transferidas para locais chamados lodges (em português, “lojas”). Em 1717, 4 unidades se unificaram na Grande Loja de Londres. Surgia, oficialmente, a maçonaria.
Estados Maçons da América 
Assim como muitos europeus, foi emigrando para a América que a maçonaria atingir o seu potencial. Na verdade, o grande “segredo” revelado no best seller de Dan Brown é consenso entre historiadores: em nenhum país a maçonaria foi tão importante quanto nos EUA.
Para começo de conversa, os maiores acontecimentos que marcaram a independência do país foram decididos em lojas maçônicas. Em 1773, não foi de improviso que comerciantes jogaram caixas e caixas de chá no mar, em protesto contra impostos extorsivos dos ingleses. A “festa do chá” de Boston foi um evento organizado por irmãos.
Nove dos 55 homens que assinaram a Declaração de Independência vinham da maçonaria, assim como um terço dos 39 que aprovaram a Constituição. Benjamin Franklin era maçom convicto, e George Washington, grão-mestre da Loja Alexandria, teria aparecido de avental cerimonial no lançamento da pedra fundamental da nova cidade.
Por falar em capital, a cidade de Washington é cheia de referências à maçonaria. Algumas são forçadas: encontram-se compassos e estrelas no traçado das ruas de qualquer cidade – como é esclarecido já no 6º dos 133 capítulos de O Símbolo Perdido. Outras são explícitas: o tema “George Washington foi maçom” inspirou pinturas e esculturas, marcando presença nas portas do Senado e no teto do Capitólio. Além disso, como Robert Langdon confere ao longo de 12 horas movimentadas, a cidade tem pelo menos 17 edifícios com arquitetura típica da ordem – uma mistura de estilo grego e romano, sempre acompanhada de esquadros, compassos e letras G (de God, “Deus” em inglês). Entre eles, a agora célebre Casa do Templo (no original, House of the Temple), sede americana do Rito Escocês Maçônico, cenário do prólogo e do clímax do livro.
Após o sucesso da independência americana, em 1776, a maçonaria passou a ditar o passo das mudanças do planeta. Ser maçom no final do século 18 e no começo do 19 era muito cool: um clube que reunia as mentes mais inquietas e influentes.
Trazendo liberdade, igualdade e fraternidade no DNA, claro que a maçonaria estava na Revolução Francesa, em 1789. Os principais líderes, Danton e Robespierre, não eram da ordem, mas a Marselhesa foi composta na loja de Marselha. Em 1810, a maçonaria inspirou a criação da Carbonária, sociedade secreta que buscaria a independência da Itália. Três futuros libertadores da América, o chileno Bernardo O’Higgins, o venezuelano Simón Bolívar e o argentino José de San Martín, frequentavam a mesma loja em Londres, uma convivência que mudou um continente. “A maçonaria participou da independência de todos os países da América do Sul”, diz Andrew Prescott, diretor de estudos da maçonaria da Universidade de Sheffield, na Inglaterra.
O que inclui o Império Brasileiro, do início ao fim (ver quadro Pais do Brasil, na página 69). Em 1822, nossa independência de Portugal foi proclamada por um grão-mestre, dom Pedro 1º. E a Proclamação da República, em 1899, foi feita por outro, o marechal Deodoro da Fonseca. E os maçons continuaram atuantes durante a nossa República Velha, chegando inclusive à Presidência, com Nilo Peçanha e, na sequência, Hermes da Fonseca.
Mundialmente, a ordem viveu uma crise a partir da década de 1930, quando seus membros mais à direita (fascistas) e à esquerda (comunistas) não vestiam mais o mesmo avental. Aliás, os maçons também estão entre as vítimas do Holocausto – entre 80 mil e 200 mil irmãos morreram em campos nazistas.
Nos anos 50, a ordem chegou a ter uma filiação recorde nos EUA – até Fred e Barney, dos Flintstones, frequentavam uma paródia da maçonaria, o Clube dos Búfalos D’Água. Mas, a geração seguinte, dos babyboomers, não se interessou – as revoluções passaram longe das lojas. “Mas, mesmo onde não voltou a ter a influência de antes, a maçonaria nunca ficou irrelevante”, diz o historiador alemão Jan Snoek, que pesquisa o tema na Universidade de Heidelberg.
Prática da conspiração 
A lista de maçons poderosos ainda é grande. Entre os 6 milhões de membros no mundo estão o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, o príncipe Philip, o premiê italiano, Silvio Berlusconi, e até Al Gore, vice-presidente de Bill Clinton – um quase maçom, como você vê na página ao lado. O fato de haver nos EUA muitos políticos e juízes membros da maçonaria é explorado em O Símbolo Perdido: o vilão do livro ameaça colocar na internet um vídeo que flagra a elite de Washington em rituais maçônicos – se não abalasse os pilares da democracia, com certeza bombava no YouTube.
É inegável que a maçonaria ainda possui membros influentes – o que não significa que ela ainda exerça influência. Um exemplo prático vem do Reino Unido, onde, a partir de 1997 todos os maçons trabalhando no sistema judiciário foram obrigados a declarar que eram membros da ordem. O argumento era de que a lealdade dos irmãos à irmandade poderia distorcer seu trabalho, e o público tinha direito de saber quem era maçom, para poder acompanhar sua conduta a partir desse fato. Em 12 anos, “nenhuma impropriedade ou má prática foi verificada por parte dos juízes pelo fato de eles serem maçons”, declarou o secretário de Justiça inglês, Jack Straw, ele mesmo um apoiador da lei, que derrubou em 5 de novembro deste ano.
E quanto à Nova Ordem Mundial? Para quem não está por dentro dessa teoria da conspiração, seria um governo único, que comandaria todo planeta e que estaria sendo planejado por maçons – ou pelos illuminati, ou pelos cavaleiros templários, pelo 4º Reich, enfim. Não há informações sobre os últimos 3 grupos, até porque não consta que eles existam. Isso é impedido pela própria forma como a maçonaria é organizada: as lojas maçônicas são independentes, abrigam irmãos com pontos de vista muito diferentes e não têm de onde tirar uma ação global coordenada. Ainda mais secreta.
Na verdade, a grande mudança que espera quem entra na maçonaria não é no mundo, mas na própria vida.
Maçom 24 horas 
Tudo indica que uma ditadura mundial não está nos planos, mas não se engane: todo maçom tem uma agenda. Se não secreta, certamente lotada. Mas, para a maioria dos membros, compensatória.
As regras começam já na candidatura – geralmente posterior a um convite de um maçom. Não basta ter fé em um deus e cromossomo XY: é preciso ser maior de idade, ter endereço fixo e renda própria e declarar seus motivos para fazer parte da ordem (dica: “Li sobre vocês na SUPER e quis ver qual era” não vai levar longe). Se for casado, a patroa precisa estar de acordo. Se for homossexual, de acordo com as regras, não entra.
Os maçons também pesquisam os amigos, o emprego e a vida financeira e policial do irmão em potencial. Depois de investigado por 6 meses a 1 ano, o nome é avaliado por toda a loja – e precisa ser aprovado por unanimidade. Aí basta participar da iniciação e prometer não revelar o que escutar – o tal pacto de silêncio da irmandade.
O iniciante é reavaliado com frequência, e tem a obrigação de participar de uma reunião semanal, que ocupa uma noite inteira em dia útil. Para faltar, só por causa de trabalho ou de estudo, vai ser necessário pedir autorização.
Além disso, as lojas maçônicas da mesma cidade se visitam, e é aconselhável participar de alguns desses momentos de intercâmbio. Isso para não falar de viagens mais longas, no caso de visitas a maçons de outros estados. E, a cada 3 anos, é preciso se envolver na votação para grão-mestre, coordenada por um Tribunal Eleitoral Maçônico.
Tem mais: cada loja cobra uma mensalidade que, em São Paulo, gira em torno R$ 150. Motivo: toda loja tem um fundo de amparo que cobre despesas inesperadas de irmãos. O fundo também funciona como uma previdência paralela: viúvas de maçons recebem pensão mensal.
Nos fins de semana, os maçons ainda fazem trabalho voluntário nas instituições mantidas pela ordem – na maioria dos casos, creches e hospitais. Esse é o momento em que levar a esposa e os filhos não só é possível como recomendável. “Chamamos as esposas dos irmãos maçons de cunhadas e os filhos de sobrinhos”, diz o aposentado baiano Paulo Borges, maçom em Salvador há 15 anos. É comum que um irmão em dificuldade seja socorrido a qualquer hora por outros maçons. Ótimo quando é você quem precisa, mas significa que o celular precisa estar ligado o tempo todo.
Clube de vantagens 
Os irmãos garantem que dá um gás na autoestima: sentem-se parte de um clube exclusivíssimo, que seleciona seus membros com rigor. “A sensação de ser aceito depois de meses de investigação é muito boa. E a cerimônia de iniciação é um dos momentos mais gratificantes e emocionantes da vida de um maçom”, afirma o empresário Adriano Aparecido Moraes, maçom há 19 anos, de Sorocaba. A loja aparentemente até transforma o comportamento: “Eu era muito temperamental, agressivo. Com a maçonaria, mudei”, diz o baiano Paulo Borges.
Bonito, bonito. Mas, além das recompensas psicológicas, há critérios mais palpáveis. “Não fosse a maçonaria, a gente não teria acesso a diretor da Polícia Federal, a funcionário público do alto escalão, a empresários que são possíveis clientes”, diz Adriano. “Não é privilégio, porque o maçom deve corresponder às expectativas profissionais. Mas ajuda bastante, cria oportunidades.”
Um maçom do Rio de Janeiro, que prefere se manter anônimo, afirma: “Se o maçom é vendedor e o comprador da empresa é irmão, ele vai ser atendido mais rápido. Conheço filhos de maçons que, graças aos contatos do pai, conseguiram estágios em empresas com irmãos na diretoria”. E conclui: “Claro, o talento é o que consolida profissionalmente, mas a maçonaria abre portas em todos os lugares”.
Em uma grande metrópole, onde as relações de poder são mais diluídas, as amizades da loja talvez não façam tanta diferença. Mas imagine o impacto desses contatos em uma cidade pequena, em que o delegado, o prefeito, o dono do jornal e o do supermercado são maçons. Na verdade, não precisa nem imaginar: em São Vicente, praia no litoral paulista ao lado de Santos, o ex-prefeito Márcio França disponibilizou um assessor maçom para atender as demandas da ordem. França hoje é deputado federal e líder do “bloquinho” (formado por PSB, PDT, PCdoB, PMN e PRB).
A influência também se dá em outras esferas do Estado. Funcionários e pessoas ligadas à Petrobras se reúnem por todo o país em lojas maçônicas chamadas Monteiro Lobato – que não era maçom, mas disse que “o petróleo é nosso”. Dizem que há dinheiro da empresa nisso, mas a Petrobras não confirma o envolvimento com os “irmãos monterianos”, que fazem debates e ações junto a políticos em defesa do patrimônio nacional.
Independentemente da ambição dentro da estrutura da maçonaria, é preciso manter a linha. Barracos, bebedeiras, adultério e prisões são inaceitáveis. “Temos o objetivo de fazer homens bons ser ainda melhores e levamos essa meta muito a sério”, diz o maçom paulistano Fábio Amauchi, engenheiro de 37 anos. É esse conceito de “homens bons” que explica a recusa de gays, por exemplo. “Não se pode dizer que esse seja um bom costume”, diz Fábio.
Secretos não, discretos 
“Os maçons já foram secretos. Ao longo do século 20, passaram a se definir como discretos. Hoje, caminham para se tornar uma sociedade civil aberta”, diz o ex-maçom britânico Martin Short, autor de Inside the Brotherhood, que critica a ordem.
No entanto, a abertura da sociedade secreta mais conhecida do mundo incomoda alguns irmãos, que vêem a proliferação de sites, jornais e revistas como um afastamento das origens. De fato, hoje já é possível se candidatar a maçom por e-mail (apesar de que um convite pessoal é, de longe, a forma mais garantida de entrar). Em seu site, a Grande Loja Maçônica do Espírito Santo mantém uma Rádio Cultura Maçônica. E a página do Grande Oriente do Brasil, seção Rio de Janeiro, oferece um tour virtual pelo Palácio Maçônico do Lavradio.
“Não existem mais segredos na maçonaria. Eles vêm sendo revelados lentamente”, diz o historiador britânico W. Kirk MacNulty, maçom há 4 décadas. “Se existe algum segredo, ele é individual, intransferível – é a experiência dos rituais maçônicos. Como explicar o gosto de uma laranja para quem nunca a comeu?”, diz o pesquisador alemão Snoek.Por outro lado, se faltam mistérios, sobram boatos.
Que tal uma bancada macônica? Um grão-mestre garante que, nas últimas eleições para prefeitos e vereadores, a maçonaria no estado de São Paulo fez campanha interna para que maçons votassem e apoiassem candidatos maçons. Segundo ele, deu certo: a maçonaria teria emplacado 13 prefeitos e 54 vereadores – ele só não diz quem e onde. Pretendem fazer o mesmo com deputados em 2010.
E esta é internacional: em Israel, a Grande Loja de Tel-Aviv é um espaço de encontro de cristãos, judeus e muçulmanos. Apesar de a maçonaria ser contra discussões políticas nos templos, todos ali estão dispostos a encontrar soluções para os problemas milenares da região. “Só em um local fechado e completamente sigiloso esse tipo de reunião improvável pode acontecer regularmente”, afirma o historiador alemão Jan Snoek, que pesquisa o tema na Universidade de Heidelberg. Ou seja: se qualquer plano de paz surgir daqui para a frente para resolver a questão entre israelenses e palestinos, é possível que haja o dedo da maçonaria.
E o que os maçons acham de toda a curiosidade em torno da ordem? Em conversas privadas, reclamam muito dos livros, filmes e sites que prometem revelar seus segredos – de reportagens como esta também. Argumentam que o tratamento é injusto e exagera aspectos menos importantes. Nesse caso, a postura oficial é não se manifestar publicamente.
Mas há uma corrente do “falem mal, mas falem de mim”, da qual faz parte Christopher Hodapp, um americano ex-mestre maçom e autor de livros sobre maçonaria, grato ao que Dan Brown e outros fizeram pela ordem. “Tínhamos dificuldades para atrair novos membros. Assim, o interesse é renovado”, diz. “De certa forma, a divulgação até ajuda, porque cria um fascínio que atrai muita gente para a ordem”, diz Adriano Moraes. “Enquanto o mundo externo se preocupa excessivamente com detalhes pouco importantes, os verdadeiros mistérios estão bem guardados.”
Grandes irmãos 
Washington é tão 1776… Conheça os maçons poderosos de hoje
Bill Clinton 
Tecnicamente, o ex-presidente americano não é maçom – mas foi dirigente da Ordem DeMolay, espécie de maçonaria júnior. Se fosse, teria sido expulso depois do escândalo com Monica Lewinsky.
Silvio Berlusconi 
O premiê italiano foi da loja maçônica Propaganda Due, considerada um “Estado dentro do Estado” nos anos 70. Berlusconi foi iniciado em 1978, e diz que deixou a maçonaria quando a loja foi fechada, em 1981.
Príncipe Philip 
O marido da rainha da Inglaterra entrou para a Loja da Marinha em 1952. Não é dos mais ativos, mas consta que participa das reuniões.
Hugo Chávez 
O presidente da Venezuela entrou no Templo Maçônico de Caracas a convite de um guarda-costas. Em seus discursos, cita com frequência maçons célebres, como Simón Bolívar.
Esperidião Amin 
O ex-governador de Santa Catarina é membro desde 1971. Newton Cardoso, ex-governador de Minas, também faz parte da maçonaria.
1 – Símbolos Encontrados
Pirâmide da nota de US$ 1
Olho 
Representa o Deus onisciente e onipresente, que tudo vê.
Pirâmide 
Remete à suposta origem da maçonaria entre os arquitetos do Egito antigo.
Novus ordo seclorum 
Conspiradores – inclusive Dan Brown em Anjos e Demônios – divulgam que a frase em latim significa “Nova Ordem Mundial”. Mas o certo é “Nova Ordem dos Séculos”.
2 – Símbolos Encontrados
Colunas do templo
Coluna B 
Se chama Boaz, sempre à esquerda na entrada das lojas. Remete ao bisavô do rei Davi e à mitológica 1ª coluna do Templo de Salomão.
Coluna J 
Conhecida como Jachim, fica à direita. O nome é uma fusão das palavras hebraicas jah (Jeová) e achin (estabelecer). Remete à 2ª coluna do templo.
Irmãos do Brasil 
Nossa independência foi decidida por facções maçônicas: havia os republicanos e os monarquistas, que venceram e agiram em 1822
Os livros de história ensinam que a nossa separação de Portugal, em 1822, foi tramada e decidida dentro das lojas maçônicas nos meses que antecederam o Grito do Ipiranga. É verdade. Mas não foi uma decisão, e sim um debate acalorado. Dependendo do que a loja decidisse, é possível que o jovem príncipe regente não virasse o imperador Pedro 1º.
Em 1822, a maçonaria brasileira estava dividida em duas grandes facções. Ambas queriam a independência, mas uma defendia ideias republicanas, enquanto a outra, de José Bonifácio de Andrada e Silva, achava que a solução era manter dom Pedro como imperador em uma monarquia constitucional. Os grupos disputaram o poder de forma passional, envolvendo prisões, perseguições, exílios e expurgos de um grupo contra o outro.
Interessado em vigiar e controlar os grupos políticos da época, dom Pedro participou ativamente das duas facções. A de José Bonifácio não funcionava em lojas, mas em palestras, batizadas significamente de “Independência ou Morte”, “União e Tranquilidade” e “Firmeza e Lealdade”. Eleito “arconte rei” na primeira sessão, dom Pedro jurou “promover com todas as forças e à custa da própria vida e fazenda a integridade, independência e felicidade do Brasil como reino constitucional, opondo-se tanto ao despotismo que o altera como à anarquia que o dissolve”. Era o programa de governo de José Bonifácio.
Na maçonaria foram estudadas, discutidas e aprovadas várias decisões importantes no processo de independência, como o manifesto que resultou no Dia do Fico (9 de janeiro de 1822) e os detalhes da aclamação de dom Pedro como imperador, no dia 12 de outubro. Isso não quer dizer que a independência foi produto único e direto das atividades dos maçons. Na verdade, a maçonaria usou e foi usada pelos diferentes grupos de pressão na época, de acordo com as circunstâncias do momento.
LAURENTINO GOMES é autor do best seller 1808, sobre a vinda da família real ao Brasil, e ano que vem lança 1822, que fala da Independência do Brasil e suas consequências.
3 – Símbolos Encontrados
Selo da maçonaria
COMPAS 
Racionalidade científica e busca pela perfeição moral.
ESQUADRO 
Instrumento dos pedreiros, que transformam a natureza. O ângulo reto indica honestidade.

Vem de God, “Deus” em inglês. Também pode representar GAU, sigla para “Grande Arquiteto do Universo”.
Washington tropical 
Se O Símbolo Perdido fosse no Brasil, seria em Paraty, cidade colonial do litoral sul do Rio repleta de marcas maçônicas na sua arquitetura
MAPA DA MINA 
O centro histórico tem 33 quadras, número mágico dos maçons.
DANDO BANDEIRA 
A bandeira de Paraty tem 3 estrelinhas “colocadas em forma triangular, lembrando a grande influência que a maçonaria exerceu na história do município”, diz a lei municipal de 1967.
GRANDES ARQUITETOS 
Casas de maçons notórios receberam colunas na entrada e decoração geomé-trica alusiva aos símbolos maçônicos e seus graus da hierarquia.
AOS TRIOS 
Muitos cruzamentos possuem pilares de pedra em só 3 das 4 esquinas, o que remete ao triângulo maçônico.
Contém – O Livro Todo! – Spoilers
Tudo que você precisa saber sobre O Símbolo Perdido
Um resumo comentado para você não boiar e ainda ter opinião em qualquer papo sobre o best seller
Em um ritual maçom, o vilão Mal’akh – bebe vinho de uma caveira. Ele tem muitas tatuagens e um plano: expor maçons poderosos e arruinar o Estado americano.
O simbologista Robert Langdon chega a Washington achando que vai dar uma palestra no Capitólio a convite do maçom Peter Solomon. Pegadinha do Mal’akh! O vilão sequestrou Solomon, de quem Langdon encontra só a mão direita.
Chega a segurança e a CIA, a quem Langdon explica que o Capitólio é atulhado de símbolos maçônicos, alguns sugerindo que George Washington é Deus . Usando seus superpoderes, Langdon conclui que foi convocado para uma gincana: para salvar a vida de Solomon, ele precisa encontrar uma lendária pirâmide maçônica e descobrir uma palavra perdida. Todos partem para o subterrâneo do Senado , onde há uma câmara secreta e charadas fascinantes.
Após alguns contratempos, Langdon parte rumo ao tedioso enredo paralelo de Katherine, irmã de Solomon e autoridade em ciência noética . Mal’akh visita e explode o laboratório mágico de Katherine, no subsolo do Smithsonian Museum . Não abalados, ela e Langdon realizam sucessivas decifrações de códigos e enigmas que os levam a uma casa misteriosa.
Pegadinha do Mal’akh! A casa é do vilão, que amarra e esfaqueia Katherine, e prende Langdon em um aquário gigante. Quase afogado, Langdon revela que a pirâmide está na Casa do Templo , um centro maçônico, para onde partem Mal’akh e Solomon – ele está vivo! Langdon também está: o tanque não tinha água, mas um líquido respirável , e Katherine é salva pela CIA, cujas movimentações omitimos para fins didáticos.
No terraço da Casa do Templo, Mal’akh ameaça: se Solomon não revelar a “palavra perdida”, vai cair na rede um vídeo de poderosos participando de um ritual de maçonaria . Solomon revela a palavra, que Mal’akh tatua na cabeça. No embalo, o vilão aplica um Darth Vader reverso: “Solomon, eu sou seu filho, Zachary. Forjei minha morte, mudei de identidade e agora preciso que você me mate. Pode usar a faca que Abraão quase usou em Isaac . Isso, a da Bíblia, está ali no canto.” Funciona assim: morte na pirâmide + faca de Abraão + frase mágica na cuca = passagem direta para o inferno, onde Mal’akh almeja um cargo de chefia.
Estão nesse mata-não-mata quando chega a CIA, de helicóptero. Os agentes destroem a torre que transmitiria o vídeo proibidão dos maçons e quebram vidraças, cujos estilhaços matam Mal’akh.
Solomon deu ao filho uma palavra falsa, mas revela a verdadeira a Langdon. Na verdade, não é uma palavra, mas um símbolo. Perdido, claro. Visto do alto, o monumento se parece com isso: . Qual o significado de um círculo com um ponto no meio? Segundo Dan Brown, é um lembrete de um ensinamento escondido a olhos vistos nos livros sagrados: todos os homens podem ser divinos.
1. Em hebraico, significa “anjo”.
2. Rituais maçônicos têm caminhadas com vendas e lâminas contra o peito, mas nada de drinques de sangue.
3. Vale lembrar: a palavra é invenção de Dan Brown. Não existem simbologistas – quem estuda símbolos é um semiólogo.
4. Falando em invenção, o selo da capa é uma. Veja detalhes ao lado.
5. Langdon diz que os fundadores da América não eram cristãos, mas deístas, e tinham o objetivo de fundar uma nova religião, inspirada na Antiguidade. Mas os historiadores, menos empolgados, encaram as referêncas à Antiguidade clássica presentes nas homenagens a George Washington, que morreu em 1799, coerentes com a estética neoclássica da época. Em obras de arte, o herói da nação foi retratado como um legislador grego e como Zeus. O quadro Apoteose de Washington, de 1836, mostra o primeiro presidente dos EUA cercado por figuras da mitologia – esse afresco pode ser visto no teto do Capitólio.
6. Bem abaixo da cúpula fica a sala conhecida como a Cripta do Capitólio. Ela deveria abrigar o corpo de George Washington, o que nunca aconteceu, e hoje é um museu. Não existe ali a sala maçônica descrita no livro. Mas há, de fato, um compasso talhado no chão, marcando o centro exato da cidade.
7. A personagem pesquisadora de noética até brinca que muita gente vai procurar na internet o que isso significa. Mas nem vale a googlada. O Instituto de Ciências Noéticas foi fundado em 1973 pelo astronauta Edgar Mitchel, logo depois que ele voltou da Lua na missão da Apollo 14. Em uma fazenda na Califórnia, dezenas de pesquisadores ripongos investigam coisas como o peso da alma, reencarnação e cura do câncer com a mente. Ali, todos têm certeza de que o pensamento coletivo altera a matéria. Fora Dan Brown, ninguém leva o instituto a sério.
8. Existe realmente um Centro de Suporte do Museu Smithsonian, em Maryland, a 10 km do museu, onde o acervo é preservado ou restaurado. Mas não há nenhum laboratório de ciências noéticas ali.
9. O argumento é que a sede do Rito Escocês da Maçonaria nos EUA é um prédio retângular com uma cúpula, o que dá ao conjunto forma de pirâmide. É, Dan Brown forçou a barra.
10. Parece mentira, mas o líquido respirável existe! Estudos indicam que ele poderá tratar de doenças pulmonares ou limitar os efeitos da descompressão para astronautas e mergulhadores. Funciona assim: os pulmão se enchem de um líquido, o perfluorocarbono, que faz as mesmas transferências químicas da respiração. Algo parecido com o aquário que prende Langdon se chama “câmara de ventilação líquida total” e está em testes nos EUA há 45 anos.
11. Sim, existem muitos governadores, senadores e congressistas americanos que são maçons. Mas, se eles não divulgam esse fato, também não fazem segredo dele. Dificilmente um vídeo de políticos em um ritual abalaria os pilares dos EUA. Só Obama bebendo vinho na caveira.
12. Ninguém sabe do paradeiro dessa faca – até porque nem é certo que Abraão tenha existido. Não há referências ao destino dela nem na Bíblia nem nos relatos orais da tradição judaica. Essa história de que a faca teria sido transmitida de geração em geração é ficção completa, não tem base nem nos mitos judaicos ou cristãos.
13. Na real, esse desenho pode significar várias coisas. É confuso, na verdade: o vilão estava atrás de um código, que nem ele sabia qual, mas que abriria as portas do conhecimento divino. O livro deixa claro que o símbolo que ele procura é esse círculo com um ponto, mas por outro lado explica que esse símbolo, por si só, não é a chave para nada. Que, no fundo, a chave está dentro de cada um. Enfim, deve ficar mais claro no filme, em 2012.
4 – Símbolos Encontrados
SÍMBOLO DA CAPA DO LIVRO 
Águia de duas cabeças
Símbolo antigo, usado por uma loja maçom pela primeira vez em 1758.
Triângulo 
“Fé, esperança e caridade”, “liberdade, igualdade e fraternidade” ou “nascimento, vida e morte”.
Número 33 
É o grau mais alta que se pode chegar no Rito Escocês.
Para saber mais
O Símbolo Perdido
Dan Brown, Sextante, 2009.
Solomon’s Builders
Christopher Hodapp, Ulysses, 2007.
A Maçonaria: Símbolos, Segredos, Significado
W. Kirk Macnulty, Martins Fontes, 2007.
Manual Completo para Lojas Maçônicas
Amado Santos, Carlos Brasílio Conte, Cláudio Roque Ferreira, Wagner Veneziani Costa, Madras, 2005.
www.gob-rj.org.br
Site do Grande Oriente do Brasil, seção Rio de Janeiro, com um passeio virtual pelo Palácio do Lavradio.
======================================================
Com a palavra o Presidente da Maçonaria:
=====================================================
Atualizada em 2009:Parece que Svali está viva e segura. Por favor, clique aqui para mais detalhes.
Nestas circunstâncias incomuns, no entanto, decidimos manter a homenagem a ela, aqui; pois sua história é tão extremamente importante e ela demonstrou coragem excepcional em se declarar, como fez em anos anteriores..
De todos os guerreiros corajosos da verdade a quem devemos prestar homenagem nestas páginas, Svali é uma exceção. Seu nome é um pseudónimo, e não se sabe se ela está morta ou na clandestinidade. Mas o seu testemunho é tão chocante, e de tamanha importância, que em nossa opinião, é absolutamente claro que devemos honrá-la aqui.
Svali é, ou era, uma mulher americana nascida em uma linhagem genética dos Illuminati. Quando ela tinha doze anos, ela foi levada ao Vaticano para uma cerimônia que foi dita seria muito importante. O que ela testemunhou - um sacrifício de crianças real (a criança tinha 3 ou 4 anos, que aparecia para ser complacente) sobre uma laje de obsidiana sobre um pentagrama grande em uma catacumba - é contada em sua entrevista extraordinária com Greg Szymanski. Todos que visitam o nosso site tem que ouvir isto:

Clique aqui para MP3 áudio[PC usuários, clique a direita do mouse e Salve Como]
Todas as crianças Illuminati são fortemente condicionadas a ser obediente, paciente, auto-controlada e totalmente leal à "família". Algunas são preparadas para os serviços militares ou a política, outros são preparadas para os negócios - ou até mesmo 'negócios' como a prostituição. Os casamentos são arranjados, sendo uma das razões fortalecer os laços entre as diferentes linhagens. Todos os membros das famílias têm frentes respeitável como pessoas "normais" na medida em que ninguém que não esteja no grupo jamais suspeitaria da dualidade de seu caráter e de sua vida. As reuniões ocorrem frequentemente durante a noite. Nestas reuniões as crianças são "treinadas" usando drogas, hipnose e choque condicionantes à recompensa. Todas elas podem, nas palavras de Svali, manipular e disparar uma arma com precisão mortal aos 8 anos de idade.
Os níveis mais altos da política são fortemente ocupadas e controladas pelos Illuminati, em todos os países ocidentais. Nos Estados Unidos, a população é cerca de 1% ou de Illuminati ou ativos dos Illuminati. Faça as contas: isso é cerca de 3 milhões de pessoas. Você pode até conhecer algumas delas, e nunca ter suspeitado.
Svali também é uma exceção dos muitos poucos membros Illuminati que deixam o clã. O condicionamento é muito grande... e sair sigifica abandonar o cônjuge, pais, filhos, casa, dinheiro, tudo. Pouquíssimas pessoas dão o pullo. Svali relata que ela só foi capaz de sair depois de lhe ocorreu que, porquê ela estava mentindo para as crianças como uma "treinadora" Illuminati (sua função ou emprego na "família"), deve riam ter mentido para ela quando ela era jovem. Ela se converteu ao cristianismo (o "real" cristianismo: ela descreveu várias igrejas cristãs como fortemente Illuminati controladas) e isto deu-lhe força para sair. Ela deu uma grande entrevista de rádio e tinha um site (suite101.com), que agora foi retirado. Ela escreveu prolificamente por um tempo, mas não se ouve dela desde 2006.
Existe uma grande quantidade de informações sobre ela na internet: Google 'Svali' e começe a ler.
Clique aqui para uma das entrevistas mais importantes que você jamais vai ouvirá, mencionado acima.
Clique aqui para ver a transcrição, que foi elaborada pelo nosso amigo David Wilcock, que se correspondia com Svali antes dela desaparecer, e aparece brevemente na entrevista a Greg Szymanski.
The simplest summary of the entire Illuminati agenda and net of control is probably Henry Makow's 2002 article here. It is reproduced below.
O resumo mais simples da agenda inteira e rede de controle dos Illuminati é provavelmente o artigo de Henry Makow de 2002 aqui. Ele está reproduzido abaixo.

O desertor illuminati detalhes da conspiração penetrante
Por Henry Makow Ph.D.
14 de outubro de 2002
reimpressão
Se você detetar a mão do diabo em eventos atuais, você pode estar mais perto da verdade do que você pensa
Uma mulher que foi criada no culto Illuminati descreve uma poderosa organização secreta em um por cento da população dos E.U., que infiltrou-se em todas as instituições sociais e está preparando secretamente um golpe de Estado militar. Suas revelações cobrem a "guerra ao terror" e a "segurança interna", a luz da verdade.
"Svali" é o pseudônimo da mulher, de 45 anos, que era uma mente "programada" para o culto até 1996. Ela era a sexta chefa treinadora no ramo de San Diego e teve 30 treinadores o sob o comando dela. Ela arriscou sua vida para alertar a humanidade do poder e da agenda secretos dos Illuminati.
Ela descreve um culto satânico sádico liderado pelas pessoas mais ricas e poderosas do mundo. É amplamente homossexual e pedófilo, pratica sacrifício de animais e o assassinato ritual. Eles funcionam "de mãos dadas" com a CIA e a Maçonaria. Trata-se da supremacia ariana (alemão é falado na parte superior), mas congratula-se apóstatas judeus. Ele controla o tráfego mundial de drogas, armas, pornografia e prostituição. Pode ser a mão por trás de assassinatos políticos e "terrorismo", incluindo 11 de setembro, o atirador de Maryland e da explosão da bomba em Bali.
Ele se infiltrou em níveis do governo local, estadual e nacional; educação e instituições financeiras, na religião e na mídia. Baseado na Europa, planejando uma "orgem mundial" que fará tentativas anteriores, o nazismo e o comunismo, parecem piqueniques. Um outro detalhe: essas pessoas não são felizes.
O testemunho corajoso de Svali explica porquê já não são ensinados valores cívicos aos nossos filhos, porque eles são habituados ao homossexualismo e violência e porque a nossa "cultura" está descendo para o niilismo e a depravação sexual. Ele levanta a possibilidade de que George W. Bush e seu governo são iluministas e grande parte da"elite" do mundo está envolvida em uma conspiração criminosa incompreensível.
Em março de 2000, Svali começou a escrever uma coluna mensal para os sobreviventes dos abusos e rituais dos Illuminati no site Suite101.com. Em dezembro de 2000, HJ Springer, editor do site CentrExNews.com, foi contatado por Svali e conduziu uma entrevista de 18 parte com ela por e-mail, que está reproduzido on line e é protegido por direitos autorais.

[Nota do Projeto Camelot: suite101.com e centrexnews.com já não estão na rede. 13 das 18 partes da entrevista de Springer são reproduzidas aqui.]
"Estou convencido de que ela é o McCoy real", Springer escreveu para mim. "Eu pessoalmente tenho retransmitido inúmeras mensagens de e-mail para ela de outros membros - pessoas que ritualisticamente sofreram lavagem cerebral, violações, abuso sexual e o que quer que possas imaginar - alguns deles confirmando-me a estória dela. Então eu não tenho absolutamente nenhuma dúvida de que Svali foi parte dos Illuminati desde a infância".
Eu também confio no testemunho de Svali porque ela confirma a minha intuição e pesquisa intensiva. Tudo se encaixa: da mão oculta que parece suprimir a humanidade ao por que Clinton deu a tecnologia secreta para os chinês, com relatos persistentes de campos de concentração nos E.U.. Isso explica porque pessoas que conheço se comportam de uma forma cúmplice. Svali, lhe agradeço por me dar a chave assustadora, mas incrível, para compreender o mundo.
Um amigo pediu-me para ter cuidado com uma brincadeira e se ofereceu para ajudar a confirmar a estória pessoal Svali. Eu aceitei. Convido você a ler todo seu depoimento e fazer a sua própria cabeça. Leia da parte "1" a parte "18" em primeiro lugar, começando no meio da lista e trabalhando para cima.
With their permission, here are some highlights of Svali's correspondence with CentrExnews.com's H.J. Springer. I have also included material from her article Are the Illuminati Taking Over the World?
Com permissão dela, aqui estão alguns destaques da correspondência Svali com CentrExnews.com de HJ Springer. Também inclui o material do artigo dela - Estão os Illuminati Tomando o Mundo?
Presença Sútil
Svali:
"Os Illuminati estão presentes em cada grande centro metropolitano dos Estados Unidos. Os Illuminati acreditam no controle de uma área através dos seus: bancos e instituições financeiras (adivinhe quantos se sentam em conselhos bancários? Você ficaria surpreso), no governo local: adivinhe quantos são eleitos para os conselhos locais da cidade? Direito: as crianças são estimuladas a freqüentar as escolas de direito e medicina. Mídia: os outros são incentivados a ir para a escola de jornalismo e os membros ajudam a fundar os jornais locais.

Crenças
Svali:
"O Illuminati é um grupo que pratica uma forma de fé, conhecido como "iluminação". É luciferiana, e ensinar a seus seguidores que suas raízes remontam às antigas religiões de mistério da Babilônia, Egito e druidismo celta. Tomaram o que que consideram o "melhor" de cada uma, as práticas fundamentais e as juntaram em uma disciplina fortemente ocultista. Muitos grupos a nível local adoram as deidades antigas como "El", "Baal", e "Ashtarte", bem como "Ísis e Osíris" e "Set ".... Eu sei que essas pessoas ensinam e praticam o mal."

Weishaupt
Svali:
"Weishaupt não criou o Illuminati, ele foi escolhido como uma figura de proa e disseram a ele sobre o que escrever. Os financiadores, que remontam aos banqueiros durante a época dos Cavaleiros Templários, que financiaram os primeiros reis na Europa, criaram o Illuminati. Weishaupt era o "garoto de recados" que cumpria as ordens deles".

Golpe militar
Svali:
"Muito em breve, cada região dos Estados Unidos terá "centros nervosos" ou bases de poder para a atividade regional. Os Estados Unidos foi dividido em sete grandes regiões geográficas. Cada região tem localidades dentro dela que contêm conjuntos e bases militares que estão escondidos em áreas remotas e isoladas ou em grandes propriedades privadas. 

Estas bases são utilizados de forma intermitente para ensinar e treinar gerações de Illuminati em técnicas militares, combate corpo-a-corpo, controle de multidões, o uso de armas e todos os aspectos da guerra militar. Por quê? Porque os iluministas acreditam que o nosso governo, como nós o conhecemos, bem como os governos da maioria das nações ao redor do mundo, estão destinados a entrar em colapso. Estes colapsos serão planejados e eles vão ocorrer das seguintes maneiras:
Os Illuminati planejaram primeiro um colapso financeiro que irá fazer com que a grande depressão se pareça com brincadeira de criança. Isso ocorrerá por meio da manobra dos grandes bancos e instituições financeiras do mundo, através da manipulação de ações e taxas de juros. A maioria das pessoas estará em débito com o governo federal através do banco e da dívida do cartão de crédito, etc. Os governos irão reclamar todas as dívidas imediatamente, mas a maioria das pessoas não será capaz de pagar e vai à falência. isto causará pânico financeiro generalizado, que ocorrerá simultaneamente em todo o mundo, como os iluministas acreditam firmemente no controle de pessoas através das finanças.
Não soa agradável, não é? Eu não sei o prazo exato para tudo isso, e não quero sequer imaginar. A boa notícia é que, se uma pessoa está livre de dívidas, não deve nada ao governo ou tem dívida em cartão de crédito e pode viver auto suficiente, eles poderão ficar melhor do que outros. Gostaria de investir em ouro não, estoques, se eu tivesse a renda. Ouro vai voltar a ser o padrão mundial, e os dólares serão bastante inúteis (lembra-se do que houve depois da Guerra Civil? Nosso dinheiro vai valer tanto quanto o dinheiro confederado valia depois da queda).
Em seguida, haverá um golpe de Estado militar, região por região, o governo declarará estado de emergência e a lei marcial. As pessoas terão entrado em pânico, haverá um estado anárquico na maioria das localidades, assim, o governo vai justificar o seu movimento como sendo necessário para controlar os cidadãos em pânico. Os líderes militares treinado no culto e as pessoas sob a sua direcção vçao usar armas, bem como técnicas de controle da multidão para implementar este novo estado de coisas. ...Bases militares serão criadas, em cada localidade (na verdade, elas já estão aqui, mas estão encobertas). Nos próximos anos, elas virão acima do solo e serão reveladas. Cada localidade terá bases regionais e líderes de que sejam responsabilizados. A hierarquia irá reflectir-se na hierarquia atual encoberta.
A cerca de cinco anos atrás, quando eu deixei o Illuminati, aproximadamente 1% da população E.U. ou também fazia parte dos Illuminati, ou era simpático a ele, ou uma vítima de controle da mente (e, portanto, considerado utilizável). Enquanto isso pode não soar como muito, imagine 1% da população altamente treinada no uso de armamento, controle de multidões, técnicas psicológicas e comportamentais com armas e ligados a grupos paramilitares."
Leadership
Svali:
"O Conselho Nacional [consiste em] VELHOS banqueiros influentes com dinheiro, tais como: os Rockefellers, as famílias Mellon, Carnegie e Rothschild, etc. Eu sei que eu não deveria citar nomes, mas eu vou.

O "Supremo Conselho Mundial" já está configurado como um protótipo do que será uma regra quando a NOM (Nova Ordem Mundial) existir. Reúne-se regularmente para discutir as finanças, a direção política, etc, e para resolver problemas difíceis que surgem. Mais uma vez, esses líderes são chefes no mundo financeiro, o VELHO sistema bancário. A família Rothschild na Inglaterra e na França, tem assento no poder. Um descendente da dinastia dos Habsburgo tem um banco de gerações. Um descendente das famílias governantes da Inglaterra e França têm um assento por gerações. A família Rockefeller, nos E.U. tem um assento.
Esta é a razão porquê os Illuminati têm sido bastante "intocáveis" ao longo dos anos. Os membros dos governos são muito, muito, muito ricos e poderosos. Espero que esta informação seja útil. Como eu sei disso? Eu estava em um conselho de liderança local (treinadora líder), mas eu conversei com aqueles da regional. Além disso, a cada criança Illuminati é ensinado quem é os "líderes" delas e lhes dizem para fazer um juramento de fidelidade a eles e à "Nova Ordem a vir"."
Realeza
Svali:
"A liderança dos Illuminati declara que eles são descendentes de linhagens reais, bem como têm uma herança oculta ininterrupta.

Veja, há duas definições usada de "reaiss". Realeza Aberta que atualmente é vista, e "realeza escondida" da linhagem real e poder oculto extremos. Às vezes, os dois eram concorrentes, como com o Prncipe de Gales.
Eu nunca pensei qual o país/linnha mantinha o maior poder, desde que eu era apenas uma peoa ocupada, fazendo o meu trabalho. Mas no meu entendimento: os descendentes de Hanoverian/Hapsburg reinavam na Alemanha sobre os Bruderheist. Eles são considerados uma das mais fortes linhas de ocultismo também. A linha britânica está logo abaixo deles, com a família real. Definitivamente, eles governam o ramo do Reino Unido sob o reino oculto dos Rothschilds, apesar de do parlamento governar o país publicamente.
Na França, mais uma vez, os descendentes das famílias reais também estão no comando ocultamente, mas os Rothschilds franceses reina sobre todos eles. "
Posição Social dos E.U.
Svali:
"Os E.U. é considerado inferior e mais jobem do que as filiais europeias. ...Alemanha, França e Reino Unido formam um triunvirato que rege o culto europeu. A URSS é considerada importante e tem os grupos militares
 mais fortes. A foi prometida a URSS a quarta posição na Nova Ordem Mundial, ANTES do papel que os E.U. teriam, porque a URSS tinha sido mais útil e cooperativa ao longo dos anos na promoção da agenda.
Os descendentes das famílias dirigentes também estão envolvidos na liderança do oculto, junto com os mais novos. Não há marxismo no culto. A China será classificada após a URSS, em seguida, os E.U. Mas uma boa parte da liderança atual dos E.U. estará na Europa, quando a mudança ocorre, e muitos têm casas lá. Eles "mudarão de nacionalidade" da noite para o dia, por assim dizer. Este é o pouco que eu me lembro. Queria ter sido melhor aluna deste material, mas eu estava muito ocupada tentando permanecer viva quando eu estava nisso.
A Rússia será a base militar e potência do grupo, já que os comandantes militares (iluminista) da Rússia são considerados os melhores do mundo, e muito, muito disciplinados. A China, por causa de suas raízes no ocultismo oriental e sua grande população, também será considerada um poder maior do que os E.U.. Mas, novamente, o poder real irá residir na Europa, de acordo com o que foi ensinado, quando eu fazia parte do grupo.
As Nações Unidas
Svali:
"A ONU foi criada no início deste século, a fim de ajudar a superar uma das maiores barreiras para um governo mundial... Essa barreira é a do nacionalismo, ou orgulho do seu país. É por isso que NÃO era um
 conceito popular quando foi introduzido pela primeira vez, se levou anos criticando o país nos meios de comunicação e à destruição de qualquer sentimento de orgulho nacional por uma campanha da mídia (não tão sutil) ao longo dos anos.
As ONU é uma preparação, mas não é o poder real no mundo, e será relativamente sem importância quando a NOM existir. Os conselhos verdadeiros, então, darão um passo à frente. Mas, como um meio de fazer o público aceitar a idéia de uma "comunidade global" e de uma "comunidade internacional", a ONU é um trampolim para a Nova Ordem Mundial".
Israel
Svali:
"O conflito no Oriente Médio é apenas a vantagem dos iluministas. Eles odeiam Israel, e esperam um dia vê-lo destruído e estão apostando no momento. Um dos carros chefe oferecido pela ONU, quando assumir o geverno do mundo é que eles vão impedir a guerra no Oriente Médio, isto será recebido com alegria por muitos.

Ao mesmo tempo, os Illuminati secretamente fornecem armas e fundos para ambos os lados para manter o conflito aceso. São pessoas muito ambíguas. Costuma-se enviar armas através da URSS para a Palestina, por exemplo, em nome da promoção da "cordialidade" entre a URSS e este estado e de outras nações árabes. Em seguida, os iluministas dos E.U. ajudariam a enviar armas para Israel, pela mesma razão.
These people love the game of chess, and see warfare between nations as creating an order out of chaos. The USSR is going to get stronger again. It has too strong a military both openly, and covertly (ALL Illuminati military trainers have visited Russia to learn from them) to sit quietly and quiesciently to the side. In the NWO, they will be stronger than us."
Essas pessoas adoram os jogos de xadrez, vêem a guerra entre as nações como a criação de uma ordem no caos. A URSS vai ficar mais forte novamente. Tem, também, forças armadas forte, tanto abertamente como secretamente (TODOS os militares Illuminati visitaram a Rússia para aprenderem com eles), a sentarem-se calmamente e inertemente ao lado do comando. Na NWO, eles serão mais fortes do que nós."
Os Illuminati são uma conspiração judaica?
Svali:
"Absolutamente não. Na verdade, Hitler e seu povo (especialmente Himmler e Goebbels) foram Iluministas superior. Os Illuminati são racistas ao extremo; quando criança, eu era obrigada a jogar "campo de concentração" tanto na minha fazenda na Virgínia, assim como na Europa, em campos isolados na Alemanha.

Os judeus historicamente lutaram contra o ocultismo (veja Deuteronômio e o Antigo Testamento de como Deus através do povo judeu, tentou limpar a terra dos grupos ocultos que estavam operando lá, como aqueles que adoravam Baal, Ashtarte e cananeus e outros deuses ba
[de um e-mail para Henry Makow]
Sim, existem algumas pessoas muito poderosas judaicas neste grupo. Por exemplo, a família Rothschild, literalmente, comanda o império financeiro na Europa (e indiretamente nos Estados Unidos) e são uma família
 judaica bem conhecida. Eu também conheci pessoas cujos pais eram comerciantes judeus de diamantes no grupo e em todos os níveis. Mas para ascensão ao poder no Illuminati, o judeu, durante a noite, seria forçado a renunciar à sua fé e dar a sua lealdade primeiro a Lúcifer e as crenças dos Illuminati. No retorno desta traição, eles acreditam no poder (financeiro) e nas recompensas futuras e, em certo sentido, eles os obtêm, mas a um preço muito alto (perdem a alma eterna deles).
A nazista/mentalidade campo de concentração é muito forte, embora, foi-me dito que Hitler, Himmler, Goebbels, e outros eram altos membros do grupo alemão (Himmler era maior do que os outros dois), Mengele e os fantoches pagos dele também; que mais tarde trabalharam como grandes treinadores da sucursal americana no período em que se esconderam na América do Sul. Eles acreditavam sinceramente que eles estavam agindo como agentes de seus "deuses" para exterminar a raça judaica, e eu estou tão, tão triste que este grupo causaram tantos horrores sobre a terra (e tão, tão feliz que eu os deixei).
Espero que isso o ajude. Eu sempre me perguntei isso, no entanto, por quê algumas das mais altas famílias do ramo financeiro do grupo (barão Rothschild da França é um dos 13 senhores europeus, ou "reis" que comanda o grupo na Europa e senta-se ao Conselho Mundial) são judias, mas o grupo defende o ódio da própria raça deles "
Eles são racistas?
Svali:
"Muitos dos Iluministas têm a programação do Quarto Reich no interior. Os Illuminati são racistas e têm muito da "perspectivas 
ariana". Eles acreditam fortemente na regra do "puro" e "inteligente", pelas definições deles, e nas cerimônias deles haverá, ocasionalmente, seres das minorias mortos em cerimônias.
Eles estão tentando produzir uma "raça geneticamente superiores" para governar, com seus filhos e descendentes. Eles também são seguidores da República de Platão e acreditam que eles serão os únicos a inaugurar esta regra "utópica" da NOM na opinião deles. Na utopia deles, a intelectualidade governará e as ovelhas, como as massas, seguiram seus líderes (que é a sua visão do mundo, que os líderes ocultistas são "iluminados" e inteligente, enquanto a pessoa comum é uma "ovelha", a ser conduzida pelo nariz). "
Maçonaria
Svali:
"Os maçons e os Illuminati estão de mãos dadas. Eu não me importo se isto pisa nos calos deles, é um fato. O templo maçônico em Alexandria, Virgínia (a cidade em si foi nomeado após Alexandria, no Egito, e é um foco da
 atividade Illuminati) é um centro na área de Washington DC, para as bolsa de estudos e de ensino dos Illuminati. Fui levada para lá de tempos em tempos para fazer testes, para subir um nível, para bolsas de estudo e para as altas cerimónias. Os líderes desse grupo maçônico também eram Iluministas.
Esta tem sido uma realidade de cada grande cidade em que vivi. Os líderes maçons também eram líderes Iluministas. Meus avós maternos eram ambos maçons de alto nível na cidade de Pittsburgh, na Pensilvânia (presidente da Estrela do Oriente e Mason do 33o grau) e os dois também eram os líderes dos Illuminati nessa área.
Os Illuminati são todos maçons? Não, especialmente nos níveis mais baixos, eu acredito que eles não sabem nada sobre as práticas que ocorrem no meio da noite, nos templos maiores. Muitos são, provavelmente, empresários e cristãos. Mas eu nunca conheci um grau de 32o ou acima que não fosse Illuminati, o grupo ajudou a criar a free Maçonaria como uma "máscara" para as actividadesdeles."
CIA, FBI estão infiltrados. Assim como os mórmons, etc
Svali:
"Muitos dos administradores e diretores do FBI também são Iluministas. A CIA ajudou a trazer cientistas alemães após a Segunda Guerra Mundial. Muitos destes,
 também,eram os líderes dos Illuminati, no próprio país deles, e foram recebidos de braços abertos pelo grupo nos E.U.. Eles também canalizaram todas as informações que eles estavam aprendendo para os Illuminati.
Os mórmons se afiliaram anos atrás em uma reunião com a liderança dos Illuminati em 1950. O mesmo aconteceu com as Testemunhas de Jeová."
A Guerra Fria
Svali:
"A Rússia nunca foi realmente uma ameaça para nós. Marxismo foi financiado pelos Illuminati e adotada como um contrapeso para o capitalismo. Os Illluminati acreditavam fortemente no equilíbrio entre forças opostas, a atração entre os opostos. Eles vêem a história como um jogo de xadrez complexo e financiam um lado, depois o outro, enquanto que no final reinará o caos e a divisão..., eles estão rindo porque estão, em fim, além dos partidos políticos. A financista ocidental vai se reunir secretamente com um oriental ou russo "adversário" durante esses anos e dar uma boa gargalhada da forma como as "ovelhas" estavam sendo iludidas. Estou compartilhando aqui o que me foi ensinado e também obse

Eles são verdadeiramente um grupo internacional e a agenda do grupo prevalece sobre quaisquer sentimentos nacionalistas. Há também um monte de negociação na frente e por trás dos membros desses grupos. Um treinador russo pode vir para os E.U. por algum tempo, concluir um trabalho, e então voltar, ou vice-versa."
Treinamento de Assassinos
Svali:
"Aqui é como isso é feito (como ele foi feito comigo):
[1] Quando a criança chega aos 2 anos, a colocam em uma gaiola de metal com eletrodos ligados. Dão um choque grave na criança.
[2] Tiram a criança da gaiola e põe um gatinho as mãos dela. Dizem à criança para torcer o pescoço do gatinho. A criança vai chorar e se recusar.
[3] Colocam a criança na gaiola, dão choques até que esteja atordoada e não pode gritar mais.
[4] Tiram a criança e lhe dizem, novamente, para torcer o pescoço do gatinho. Desta vez, a criança vai se sacudir, chorar, mas o fará, com medo da tortura. A criança vai para o canto e vomitará, enquanto o adulto a elogia por "fazer um trabalho tão bom". 

Este é o primeiro passo. Os animais ficam maiores ao longo do tempo, enquanto criança vai ficando mais velha. Elas serão obrigadas a matar uma criança em algum ponto, ou em VR (realidade virtual), ou na realidade. Elas serão encinadas pela idade dos 9 anos a montar uma arma, a apontar e atirar em alvos e sobre comando. Eles então práticaram em animais. Então, praticaram em "dispensáveis" ou em VR. Elas serão muito elogiadas se o fizerem bem, e torturadas se não cumprirem as ordens.
Quanto mais velha a criança ou adolescente, mais avançado é o treinamento. Aos 15 anos, a maioria das crianças também serão obrigados a fazer combate corpo a corpo na frente dos espectadores (pessoas de altos níveis que vêm assistir aos "jogos" semelhante ao que os antigos gladiadores realizavam). Estes jogos são raramente feitos até a morte, geralmente, até que uma criança venha a baixo. Elas usam todo os tipos de armas imagináveis e aprendem a lutar por suas vidas. Se uma criança perde uma luta, eles são muito castigadas por seus treinadores, que perde a "cara". Se elas ganharem, elas são novamente elogiadas por serem "forte" e hábeis com armas. Ao chegar aos 21 anos de idade, elas estão bem treinadas como combatentes/máquinas de matar com os códigos de comando para matar e elas foram testados de novo e de novo para provar que elas obedecerão ao comando. Esta é a forma como as crianças na Alemanha Illuminati são levados para os altos níveis, eu mesma passei por isso." 
Confie na Família
Svali:
"Eles dizem a seus filhos quando eles são torturados: "Eu estou fazendo isso porque eu te amo". Para eles, o maior amor é fazer uma criança forte e apta a liderar ou para se deslocar para os níveis mais altos no grupo, de qualquer forma.

Se um líder vê uma criança e quer ele como uma prostituta, os pais amorosos vão entregá-la, felizes por que o/a seu filho(a) irá subir na posição. Além disso, mais uma vez, encaram a traição como o bem maior. Eles farão ciladas após ciladas para ensinar seus filhos a nunca confiar nos outros abertamente.
Lembro-me de centenas de ciladas agonizantes e traições e ouvia, quando era traída ou ferida, "Assim é o coração do homem". Aqueles que fizeram isso comigo pensavam que eles estavam me ensinando algo de valor, que iriam me ajudar. E, devido à natureza cruel e política do grupo, em certo sentido, eles estavam certos, os ingênuos seriam pisados e feridos. Conheço pais que tentaram poupar alguns de seus filhos disso por amor, mas muitas vezes eles foram anulados por outros membros da família, que viam estes pais como "fracos" e "impróprios" para ensinar os filhos deles "
Moral
Svali:
"A maioria deles está ferida, vítimas de abusos, que não percebem que é possível deixar o grupo. Existe um monte de descontentamento nas fileiras, e haveria um êxodo em massa, se os membros acreditassem que era realmente possível sair (e viver). Muitos dos treinadores que conheci (eu sei, maus, pedófilos torturados) NÃO estavam felizes com o que eles faziam. Sussurravam discretamente, ou davam uma olhada, para mostrar o seu desacordo com o que tinham a fazer. Mas, iriam, resignadamente, fazer o seu trabalho na esperança de avançar na posição.

Sabe qual é um dos maiores chamariz oferecido para aqueles que avançam no grupo? Que você não tem que mais ferir as pessoas, e que não pode ser abusado (é verdade: só os mais elevados no grupo podem abusar de você, por isso todos querem subir, onde o número de superiores torna-se menor) . Naturalmente, as pessoas podem optar por abusar de qualquer um abaixo deles e isso motiva.
Os Illuminati são grupo muito político e traidor, uma mentalidade de "cão come cão", todo mundo quer subir. Essas pessoas não são agradáveis e elas utilizam e manipulam os outros viciosamente. Eles cortaram os dentes caninos deles por posição, poder e dinheiro.
Eles nunca revelaram abertamente sua agenda, ou as atividades do culto deles, freqüentemente eles são amnésicos para estas. Estes são os "cristãos" bem respeitados, os líderes de negócios que aparecem na comunidade. A imagem na comunidade é muito importante para um iluminista, eles vão fazer de tudo para manter uma fachada normal, respeitada, e DESPREZAM a exposição. .... 
Nenhum dos Iluministas, que eu conheci, tinha a aparência rude ou cruel na vida diurna deles, embora alguns eram disfuncionais, tais como os alcoólicos. A dissociação que impulsiona os iluministas é a sua maior cobertura... Muitos, se não a maioria, dessas pessoas estão completamente inconscientes do grande mal em que elas se envolvem durante a noite."
TV
Além disso, lembra-se dos estudos que afirmaram que "a violência na TV não afeta o comportamento das crianças" anos atrás? Adivinha quem os financiou? Eles são um bando de idiotas. O que uma pessoa ve a INFLUÊNCIA e isto é bem conhecido pelos behavioristas no grupo. Na verdade, eles sabem que a televisão é uma ferramenta que eles deliberadamente usam para influênciar "as massas". Não se pode criar uma mudança de personalidade total do cidadão médio, mas pode nos tornar insencíveis, cada vez mais a violência, pornografia e ocultismo e influenciar a percepção das crianças
Música Rock
Eu acredito que Britney Spears, Eminem, e outros estão sendo usados por eles para cantarem as músicas que os Illuminati gostam (já percebeu que ele usa uma aparência neo-nazistas e canta letras de ódio? Isto não é por acaso). Na verdade, muitos dos cantores altamente populares vieram de um estágio do "Clube do Mickey Mouse" (sim, o bom e velho Walt do Império iluminista) e eu acredito que lhes seja oferecido estrelato em troca de fidelidade ou controle da mente.
Quantas canções advogam o suicídio, violência, desespero, ou a espiritualidade da Nova Era em pop/rock de hoje? Ou apenas faça uma cópia das letras da múcisa e leia (mas esteja ciente de que muitos estão , possivelmente, desencadeando os sobreviventes do controle da mente).
Pontos Fracos do Illuminati
Svali:
"1. Sua arrogância (acho que já mencionei isso antes) é a sua fraqueza. Essas pessoas pensam que são intocáveis e isso pode torná-los descuidados.

2. Se por um milagre, muita gente levou isso a SÉRIO e começou a se organizar, de alguma maneira, para parar os Illuminati, com a oração e a orientação de Deus, talvez pudessem ser parados. Espero que sim, com todo o meu coração.
3. Parando a pornografia, a prostituição infantil, o tráfico de droga e o contrabando de armas tirariam a uma grande fatia dos seus lucros. Talvez eles ficassem menores. Mas, honestamente, parar isto seria tão difícil quanto parar o grupo. "
Negação pública do Mecanismo
Svali:
"A prova está aí, mas na minha opinião, a pessoa média não quer saber e mesmo quando confrontada com ela, vai olhar para o outro lado. 

O caso de Franklin é uma ponta. Quanta evidência que apareceu? Ou os documentos do MK-Ultra que foram desclassificados, apresentados como reais e as pessoas os ignoram.
Ok, Sairei do esconderijo. Mas acredito que a mídia que minimiza o abuso ritual é a alimentada por uma profunda necessidade da pessoa comum de NÃO conhecer a realidade. Na verdade, como uma pessoa pode encarar o fato de um grande mal na humanidade, a menos que eles tenham uma forte fé em Deus, ou sejam confrontados com provas intransponível? Nós, como seres humanos queremos acreditar no melhor de nossa raça e não no pior, na minha humilde opinião.
Eu realmente não acredito que as pessoas vão fazer nada sobre os Illuminati, mesmo que os conheçam. Desculpe pelo cinismo, mas é baseado em uma vida inteira de experiência. 
Os iluministas não se importam com quem imprime este material, ou se eles estão "expostos", porque eles estão contam que a maioria não acreditará, pois foi feito um bom trabalho com uma campanha rápida na mídia (visto que, nenhum artigo na revista Newsweek ou Time, recentemente, tenha abordado este artigo, senão como uma teoria conspiratória risível? Adivinha quem é dono da Time-Warner?).
Eu os ouvia rir sobre isto mesmo em reuniões de liderança, há cinco anos, e duvido que a atitude deles tenha mudado muito desde então. Se as pessoas ACREDITAM nisso, se a ação pudesse ser tomada, então eu ficaria muito surpresa e muito feliz. " 
=========================================
Aceito mais informações quem tiver...
=========================================

Especial: É tudo um assunto só!

Outro dia discutindo sobre as manifestações do dia 15, sobre crise do governo e a corrupção da Petrobrás eu perguntei a ele se tinha acompanhado a CPI da Dívida Pública. Então ele me respondeu: Eu lá estou falando de CPI?! Não me lembro de ter falado de CPI nenhuma! Estou falando da roubalheira... A minha intenção era dizer que apesar de ter durado mais de 9 meses e de ter uma importância ímpar nas finanças do país, a nossa grande mídia pouco citou que houve a CPI e a maioria da população ficou sem saber dela e do assunto... Portanto não quis fugir do assunto... é o mesmo assunto: é a política, é a mídia, é a corrupção, são as eleições, é a Petrobras, a auditoria da dívida pública, democracia, a falta de educação, falta de politização, compra de votos, propina, reforma política, redemocratização da mídia, a Vale, o caso Equador, os Bancos, o mercado de notícias, o mensalão, o petrolão, o HSBC, a carga de impostos, a sonegação de impostos,a reforma tributária, a reforma agrária, os Assassinos Econômicos, os Blog sujos, o PIG, as Privatizações, a privataria, a Lava-Jato, a Satiagraha, o Banestado,  o basômetro, o impostômetro, É tudo um assunto só!...




A dívida pública brasileira - Quem quer conversar sobre isso?


Escândalo da Petrobrás! Só tem ladrão! O valor de suas ações caíram 60%!! Onde está a verdade?

A revolução será digitalizada (Sobre o Panamá Papers)

O tempo passa... O tempo voa... E a memória do brasileiro continua uma m#rd*

As empresas da Lava-jato = Os Verdadeiros proprietários do Brasil = Os Verdadeiros proprietários da mídia.

Desastre na Barragem Bento Rodrigues <=> Privatização da Vale do Rio Doce <=> Exploração do Nióbio

Trechos do Livro "Confissões de um Assassino Econômico" de John Perkins 

Meias verdades (Democratização da mídia)

Spotniks, o caso Equador e a história de Rafael Correa.

O caso grego: O fogo grego moderno que pode nos dar esperanças contra a ilegítima, odiosa, ilegal, inconstitucional e insustentável classe financeira.



UniMérito - Assembleia Nacional Constituinte Popular e Ética - O Quarto Sistema do Mérito 

Jogos de poder - Tutorial montado pelo Justificando, os ex-Advogados Ativistas
MCC : Movimento Cidadão Comum - Cañotus - IAS: Instituto Aaron Swartz

TED / TEDx Talks - Minerando conhecimento humano




Mais desse assunto:

O que tenho contra banqueiros?! Operações Compromissadas/Rentismo acima da produção

Uma visão liberal sobre as grandes manifestações pelo país. (Os Oligopólios cartelizados)

PPPPPPPPP - Parceria Público/Privada entre Pilantras Poderosos para a Pilhagem do Patrimônio Público



As histórias do ex-marido da Patrícia Pillar

Foi o "Cirão da Massa" que popularizou o termo "Tattoo no toco"

A minha primeira vez com Maria Lúcia Fattorelli. E a sua?

As aventuras de uma premiada brasileira! (Episódio 2016: Contra o veto da Dilma!)  

A mídia é o 4° ou o 1° poder da república? (Caso Panair, CPI Times-Life)

O Mercado de notícias - Filme/Projeto do gaúcho Jorge Furtado



Quem inventou o Brasil: Livro/Projeto de Franklin Martins (O ex-guerrilheiro ouve música)

Eugênio Aragão: Carta aberta a Rodrigo Janot (o caminho que o Ministério público vem trilhando)

Luiz Flávio Gomes e sua "Cleptocracia"

Comentários políticos com Bob Fernandes. 

Quem vamos invadir a seguir (2015) - Michel Moore

Ricardo Boechat - Talvez seja ele o 14 que eu estou procurando...

Melhores imagens do dia "Feliz sem Globo" (#felizsemglobo)

InterVozes - Coletivo Brasil de Comunicação Social



Sobre Propostas Legislativas:

Manifesto Projeto Brasil Nação

A PLS 204/2016, junto com a PEC 241-2016 vai nos transformar em Grécia e você aí preocupado com Cunha e Dilma?!

A PEC 55 (antiga PEC 241). Onde as máscaras caem.

Em conjunto CDH e CAE (Comissão de Direitos Humanos e Comissão de Assuntos Econômicos)

Sugestão inovadora, revolucionária, original e milagrosa para melhorar a trágica carga tributária brasileira.


Debates/Diálogos:

Debate sobre Banco Central e os rumos da economia brasileira...

Diálogo sobre como funciona a mídia Nacional - Histórias de Luiz Carlos Azenha e Roberto Requião.

Diálogo sobre Transparência X Obscuridade.

Plano Safra X Operações Compromissadas.

Eu acuso... Antes do que você pensa... Sem fazer alarde...talvez até já tenha acontecido...


Depoimento do Lula: "Nunca antes nesse país..." (O país da piada pronta)
(Relata "A Privataria Tucana", a Delação Premiada de Delcidio do Amaral e o depoimento coercitivo do Lula para a Polícia Federal)


Democratizando a mídia:

Entrevistas e mais entrevistas na TV 247


Entrevistas e depoimentos na TVT/DCM


Um ano do primeiro golpe de estado no Brasil no Terceiro Milênio.

Desastre em Mariana/MG - Diferenças na narrativa.

Quanto Vale a vida?!

Como o PT blindou o PSDB e se tornou alvo da PF e do MPF - É tudo um assunto só!

Ajuste Fiscal - Trabalhadores são chamados a pagar a conta mais uma vez

Resposta ao "Em defesa do PT" 

Sobre o mensalão: Eu tenho uma dúvida!



Questões de opinião:

Eduardo Cunha - Como o Brasil chegou a esse ponto?



Sobre a Ditadura Militar e o Golpe de 64:

Dossiê Jango - Faz você lembrar de alguma coisa?

Comissão Nacional da Verdade - A história sendo escrita (pela primeira vez) por completo.

CPI da Previdência


CPI da PBH Ativos


Sobre o caso HSBC (SwissLeaks):

Acompanhando o Caso HSBC I - Saiu a listagem mais esperadas: Os Políticos que estão nos arquivos.

Acompanhando o Caso HSBC II - Com a palavra os primeiros jornalistas que puseram as mãos na listagem.

Acompanhando o Caso HSBC III - Explicações da COAF, Receita federal e Banco Central.

Acompanhando o Caso HSBC V - Defina: O que é um paraíso fiscal? Eles estão ligados a que países? 

Acompanhando o Caso HSBC VI - Pausa para avisar aos bandidos: "Estamos atrás de vocês!"... 

Acompanhando o Caso HSBC VII - Crime de evasão de divisa será a saída para a Punição e a repatriação dos recursos

Acompanhando o Caso HSBC VIII - Explicações do presidente do banco HSBC no Brasil

Acompanhando o Caso HSBC IX  - A CPI sangra de morte e está agonizando...

Acompanhando o Caso HSBC X - Hervé Falciani desnuda "Modus-Operandis" da Lavagem de dinheiro da corrupção.



Sobre o caso Operação Zelotes (CARF):

Acompanhando a Operação Zelotes!

Acompanhando a Operação Zelotes II - Globo (RBS) e Dantas empacam as investigações! Entrevista com o procurador Frederico Paiva.

Acompanhando a Operação Zelotes IV (CPI do CARF) - Apresentação da Polícia Federal, Explicação do Presidente do CARF e a denuncia do Ministério Público.

Acompanhando a Operação Zelotes V (CPI do CARF) - Vamos inverter a lógica das investigações?

Acompanhando a Operação Zelotes VI (CPI do CARF) - Silêncio, erro da polícia e acusado inocente depõe na 5ª reunião da CPI do CARF.

Acompanhando a Operação Zelotes VII (CPI do CARF) - Vamos começar a comparar as reportagens das revistas com as investigações...

Acompanhando a Operação Zelotes VIII (CPI do CARF) - Tem futebol no CARF também!...

Acompanhando a Operação Zelotes IX (CPI do CARF): R$1,4 Trilhões + R$0,6 Trilhões = R$2,0Trilhões. Sabe do que eu estou falando?

Acompanhando a Operação Zelotes X (CPI do CARF): No meio do silêncio, dois tucanos batem bico...

Acompanhando a Operação Zelotes XII (CPI do CARF): Nem tudo é igual quando se pensa em como tudo deveria ser...

Acompanhando a Operação Zelotes XIII (CPI do CARF): APS fica calado. Meigan Sack fala um pouquinho. O Estadão está um passo a frente da comissão? 

Acompanhando a Operação Zelotes XIV (CPI do CARF): Para de tumultuar, Estadão!

Acompanhando a Operação Zelotes XV (CPI do CARF): Juliano? Que Juliano que é esse? E esse Tio?

Acompanhando a Operação Zelotes XVI (CPI do CARF): Senhoras e senhores, Que comece o espetáculo!! ("Operação filhos de Odin")

Acompanhando a Operação Zelotes XVII (CPI do CARF): Trechos interessantes dos documentos sigilosos e vazados.

Acompanhando a Operação Zelotes XVIII (CPI do CARF): Esboço do relatório final - Ainda terão mais sugestões...

Acompanhando a Operação Zelotes XIX (CPI do CARF II): Melancólico fim da CPI do CARF. Início da CPI do CARF II

Acompanhando a Operação Zelotes XX (CPI do CARF II):Vamos poupar nossos empregos 



Sobre CBF/Globo/Corrupção no futebol/Acompanhando a CPI do Futebol:

KKK Lembra daquele desenho da motinha?! Kajuru, Kfouri, Kalil:
Eu te disse! Eu te disse! Mas eu te disse! Eu te disse! K K K

A prisão do Marin: FBI, DARF, GLOBO, CBF, PIG, MPF, PF... império Global da CBF... A sonegação do PIG... É Tudo um assunto só!!

Revolução no futebol brasileiro? O Fim da era Ricardo Teixeira. 

Videos com e sobre José Maria Marin - Caso José Maria MarinX Romário X Juca Kfouri (conta anonima do Justic Just ) 

Do apagão do futebol ao apagão da política: o Sistema é o mesmo


Acompanhando a CPI do Futebol - Será lúdico... mas espero que seja sério...

Acompanhando a CPI do Futebol II - As investigações anteriores valerão!

Acompanhando a CPI do Futebol III - Está escancarado: É tudo um assunto só!

Acompanhando a CPI do Futebol IV - Proposta do nobre senador: Que tal ficarmos só no futebol e esquecermos esse negócio de lavagem de dinheiro?!

Acompanhando a CPI do Futebol VII - Uma questão de opinião: Ligas ou federações?!

Acompanhando a CPI do Futebol VIII - Eurico Miranda declara: "A modernização e a profissionalização é algo terrível"!

Acompanhando a CPI do Futebol IX - Os presidentes de federações fazem sua defesa em meio ao nascimento da Liga...

Acompanhando a CPI do Futebol X - A primeira Liga começa hoje... um natimorto...

Acompanhando a CPI do Futebol XI - Os Panamá Papers - Os dribles do Romário - CPI II na Câmara. Vai que dá Zebra...

Acompanhando a CPI do Futebol XII - Uma visão liberal sobre a CBF!

Acompanhando a CPI do Futebol XIII - O J. Awilla está doido! (Santa inocência!)

Acompanhando a CPI do Futebol XIV - Mais sobre nosso legislativo do que nosso futebol



Acompanhando o Governo Michel Temer

Acompanhando o Governo Michel Temer I

Nenhum comentário:

Postar um comentário