Magazine Luiza

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

A polêmica da SOPA difícil de engolir! Blackout das gigantes da internet amanhã!

Fora a Polêmica do BBB outra noticia que corre na NET é a promessa de protesto que pode parar os gigantes da internet amanhã!... Veja as notícias nos principais sites de notícias.

Google publicará protesto ao Sopa em sua página inicial
Site Terra -17 de janeiro de 2012 15h25 http://tecnologia.terra.com.br/noticias/0,,OI5562743-EI12884,00-Google+publicara+protesto+ao+Sopa+em+sua+pagina+inicial.html

 

O Google vai protestar contra as polêmicas leis antipirataria dos EUA postando um link mostrando sua oposição ao projeto em sua página inicial nesta quarta-feira. Em comunicado, a gigante da internet afirmou que vai se juntar à Wikipédia e ao Reddit protestando contra o Stop Online Piracy Act (Sopa) e o Protect IP Act (Pipa), projetos de lei que preveem o bloqueio de sites que compartilham conteúdo que fere direitos autorais. As informações são do site CNET.
"Como muitas empresas, empresários e usuários da web, nos opomos a essas leis porque há formas mais inteligentes e direcionados para bloquear sites estrangeiros desonestos sem pedir a empresas americanas para censurar a internet", afirmou um porta-voz do Google. "Então, amanhã estaremos juntando muitas outras empresas de tecnologia para destacar esta questão em nossa página inicial dos EUA".
Outros sites também preparam protestos para quarta-feira. A versão em língua inglesa da Wikipédia ficará fora do ar por 24 horas. Os internautas que entrarem a enciclopédia online verão um comunicado da Fundação sobre os dois projetos de lei. Já o Reddit irá tirar do ar suas operações de compartilhamento em protesto aos projetos. Durante o tempo de inatividade, o Reddit irá mostrar uma transmissão ao vivo da audiência que discutirá o Sopa e exibirá uma simples declaração sobre sua posição contrária aos projetos de lei.
Os projetos de lei preveem o bloqueio de sites que compartilham conteúdo que fere direitos autorais. O Sopa em discussão na Câmara americana, prevê mais poder ao governo na retirada do ar de sites que reproduzam conteúdo não autorizado pelos autores. Já o Pipa, que corre no Senado, daria autoridade ao procurador-geral dos EUA para bloquear domínios de internet. Os dois projetos em andamento no Congresso americano sofrem forte oposição de empresas de tecnologia, como Google, Facebook, Twitter, eBay e Fundação Mozilla, e são apoiados por estúdios de Hollywood e detentores de direitos autorais, que afirmam que a lei é necessária para combater sites estrangeiros que vendem filmes piratas e mercadorias falsificadas.

Fundador da Wikipédia anuncia apagão em protesto ao Sopa

 http://www.correiodoestado.com.br/noticias/fundador-da-wikipedia-anuncia-apagao-em-protesto-ao-sopa_138641/
O fundador da Wikipédia, Jimmy Wales, decidiu se juntar a outros sites e participar de um protesto contra dois controversos projetos de lei antipirataria dos Estados Unidos, fechando a enciclopédia online na quarta-feira. Em seu perfil no Twitter, Wales afirmou que o site na língua inglesa ficará fora do ar por 24 horas em protesto Sopa (Stop Online Piracity Act), projeto em discussão na Câmara americana, e ao Pipa (Protect Ip Act), projeto semelhante que corre no Senado.
Nas postagens em seu perfil na rede de microblogs, Wales afirmou que o "apagão" é uma "decisão da comunidade da Wikipédia", e que pretende juntar-se a outros sites que terão iniciativas semelhantes, como o Reddit, que anunciou na semana passada que irá tirar do ar suas operações de compartilhamento em protesto aos projetos. Durante o tempo de inatividade, o Reddit irá mostrar uma transmissão ao vivo da audiência que discutirá o Sopa e exibirá uma simples declaração sobre sua posição contrária aos projetos de lei.
"O Pipa continua vivo, e não estamos recebendo confirmações firmes de que o Sopa será arquivado. Acho que isso é uma tática. A todo vapor!", tuitou Wales, duvidando dos rumores que indicam que os congressistas estejam tirando o Sopa da pauta da Câmara americana.
Segundo Wales, nas 24 horas que a Wikipédia ficará fora do ar, os internautas que entrarem no site verão um comunicado da Fundação sobre os dois projetos. Ele explicou que apenas a versão de língua inglesa sairá do ar, "embora outros países possam incluir bunners explicando a situação".
Em dezembro, o fundador da Wikipédia já havia sugerido uma ação similar, uma página em branco no lugar da sua enciclopédia para protestar contra o Sopa. Walles havia afirmado à época que estaria disposto a tirar o site do ar se a maioria da comunidade concordasse.
Durante o apagão, a Wikipédia exibirá uma carta da comunidade e uma "chamada para ação", incentivando que os usuários escrevam e liguem para o Congresso em protesto ao projeto. "Meu objetivo é derreter os quadros de distribuição", escreveu.
Projetos e polêmica
Os projetos de lei preveem o bloqueio de sites que compartilham conteúdo que fere direitos autorais. O Sopa prevê mais poder ao governo na retirada do ar de sites que reproduzam conteúdo não autorizado pelos autores. Já o Pipa daria autoridade ao procurador-geral dos EUA para bloquear domínios de internet.
Os dois projetos em andamento no Congresso americano sofrem forte oposição de empresas de tecnologia, como Google, Facebook, Twitter, eBay e Fundação Mozilla, e são apoiados por estúdios de Hollywood e detentores de direitos autorais, que afirmam que a lei é necessária para combater sites estrangeiros que vendem filmes piratas e mercadorias falsificadas.
O magnata de mídia Rupert Murdoch é um dos apoiadores dos projetos, e causou polêmica no Twitter no fim de semana. Primeiro, o dono da News Corp atacou o presidente norte-americano, afirmando que Barack Obama "entregou a sua parte aos 'mestres do pagamento' do Vale do Silício, que ameaçam os criadores de software com pirataria".
O comentário é uma referência à posição da Casa Branca, que no fim de semana divulgou nota afirmando não apoiar "quaisquer projetos que rompam os padrões abertos da internet".
No segundo tweet sobre o tema, também no sábado, afirmou que o Google é o "líder em pirataria" no mundo, uma vez que "faz stream de filmes gratuitamente e vende anúncios relacionados a eles". O post ainda dizia que "não é à toa que o Google está despejando milhões em lobby", em referência à campanha da empresa de Mountain View contra o Sopa.
O projeto de lei (do inglês Stop Online Piracy Act) prevê mais poder ao governo dos EUA para retirar do ar sites que reproduzam conteúdo não autorizado pelos detentores dos direitos autorais.


Tirar Twitter do ar em protesto contra Sopa é tolice, diz CEO

Dick Costolo garante que não seguirá decisão da Wikipédia, que promete tirar página em inglês do ar nesta quarta-feira

Publicação Exame/Abril 17/01/2012 - http://exame.abril.com.br/tecnologia/twitter/noticias/tirar-twitter-do-ar-em-protesto-contra-sopa-e-tolice-diz-ceo
Dick Costolo, CEO do Twitter
Executivo deu sua resposta após questionamentos de usuários que utilizam o serviço
Dick Costolo, CEO do Twitter, afirmou que não irá tirar a rede social do ar em protesto contra o projeto de lei americano contra a pirataria na internet (Sopa, stop online piracy act). "Seria tolice interromper um serviço global em função de uma questão política de uma única nação", escreveu Costolo em seu perfil na rede na noite desta segunda-feira.

A afirmação foi uma resposta a questionamentos de usuários do serviço, que indagavam se o Twitter seguiria o exemplo da Wikipédia, que promete tirar do ar sua página em inglês nesta quarta-feira como forma de protestar contra o projeto de lei. A "tolice" indicada por Costolo pareceu uma crítica do chefe do Twitter à Wikipédia. Isso leveu o CEO a acrescentar um esclarecimento: "Eu me referia apenas à sugestão de tirar o Twitter do ar, não à decisão da Wikipédia." Jimmy Wales, fundador da Wikipédia, concordou.
Outros serviços de peso da internet já se mostraram contrários ao Sopa. É o caso de Google, Facebook e Amazon. Ainda não está claro, contudo, se eles também vão interromper seus serviços.
Entenda o caso
• De acordo com o projeto de lei americano, devem ser bloqueados nos EUA sites estrangeiros que abrigam conteúdos que infrinjam as leis de direitos autorais – como cópias ilegais de vídeos, músicas e fotos
• O bloqueio deve ser feito inclusive por serviços de busca, como o Google, e de pagamento eletrônico, como o PayPal. A publicidade nos sites estrangeiros infratores também deve ser cancelada
• Wikipedia, Google, Twitter, Facebook e Amazon se opõem ao projeto: eles alegam que o Sopa pode introduzir na rede censura e entraves à inovação
• Casa Branca: o governo americano defende o respeito aos direitos autorais, mas também diz que o Sopa pode prejudicar a liberdade de expressão e a inovação
• O projeto de lei conta com o apoio da indústria de entretenimento (estúdios de cinema, gravadoras, conglomerados de mídia), que acusa os sites de violar direitos autorais e exibir ilegalmente seus conteúdos


Gigantes podem parar net

SOPA

Facebook, Google e Ebay ponderam protesto

A tentativa do Congresso norte-americano de aprovar uma lei de controlo sobre a internet pode levar os principais gigantes da net a encerrar os seus serviços. Esta forma de protesto está a ser “discutida muito a sério”.
A Net Coalition está a ponderar seriamente interromper os serviços de internet que os seus associados prestam, em protesto contra a SOPA – a lei anti-pirataria que está a ser discutida no Congresso norte-americano. A posição de força das empresas pode paralisar a net, uma vez que fazem parte da Net Coalition a Google, Facebook, PayPal e Twitter. Ou seja: grande parte da sua vida online pode parar, sem acesso às redes sociais, ao email e a pagamentos.
A interrupção dos serviços está a ser ponderada de uma forma muito veemente: “Tem havido discussões sérias sobre o assunto”, confessou Markham Erickson (o representante da Net Coalition) ao CNet. A página da organização abre com uma tomada de posição contra a legislação, assinada por centenas de empresas e profissionais da área.
A SOPA (Stop Online Piracy Act) é um projeto de legislação que permitirá suspender sites sem autorização judicial e obrigará os prestadores de serviços de net a monitorizarem os serviços online. Este projeto tem suscitado uma onda de protestos e levou mesmo o Parlamento Europeu a reiterar a necessidade se manter a net livre. Recentemente, a GoDaddy – um dos principais serviços de alojamento de sites do mundo – viu milhares de domínios saírem para a concorrência por ter declarado o seu apoio à SOPA, o que obrigou mesmo a uma retração da sua posição.

Ô SOPA difícil de engolir…

 Publicação idgnow.uol 17/01/2012 - http://idgnow.uol.com.br/blog/circuito/2012/01/17/o-sopa-dificil-de-engolir/

Há algo acontecendo na política dos EUA neste momento que está mobilizando o mundo,  porque afeta a todos nós, usuários da Internet. É o  SOPA, Stop Online Piracy Act, Projeto de Lei de Combate à Pirataria Online que tramita no Congresso dos Estados Unidos e que, se aprovado como está, permitirá o bloqueio indiscriminado a sites que supostamente deem acesso ou incentivem o “roubo” de propriedade intelectual. Vozes libertárias da internet organizam para essa quarta-feira, 18/01, um boicote ao SOPA. O Reddit, site de compartilhamento de notícias e um dos mais ativos contra o SOPA,  vai parar por 12 horas amanhã em protesto ao projeto de lei. Outras ações estão listadas no site Stop American Censorship. A reação mais aguardada é a das empresas que integram a chamada NetCoallition (incluindo Google, Facebook, etc), ainda sem data marcada para acontecer.

No Brasil aderiu à reação internacional ao SOPA. O movimento Mega Não, que nasceu durante aos protestos contrário ao projeto de lei de crimes digitais em podeestá promovendo um blecaute contra o projeto nesta quarta-feira, 18/01, das 8h as 20, que já conta com o apoio de CGI.brTrezentosIDECRevista ForumSoftware Livre BrasilPontão GaneshaFora do EixoPartido Pirata do Brasil e já está marcado como evento no Facebook. A convocação é para todos os ativistas. Todos que acreditam que podem ser um agente de mudança.
Algumas pessoas vão dizer que agir é inútil, que as petições online, telefonemas aos congressitas americanos, e outras ações não mudarão nada. Para essas pessoas, o pessoal do WordPress lembra as palavras de Margaret Mead: nunca duvide que um pequeno grupo de cidadãos preocupados e comprometidos possa mudar o mundo. Eles estão convocando os 60 milhões de usuários do WordPress no mundo a aderirem ao protesto.
A mobilização é geral. Os desenvolvedores do Google Chrome fizeram uma extensão ao navegador, a  No SOPA, que alerta o usuário se o site visitado apóia o SOPA. O Firefox já se adiantou à aprovação e saiu com o DeSOPA, plugin feito pelo desenvolvedor Tamer Rizk que permite a qualquer usuário do navegador acessar sites bloqueados pelo SOPA.
A própria Casa Branca é contrária ao SOPA.
Tanto barulho é justificado? Sim.
O objetivo declarado desta legislação norte-americana é proteger os grandes produtores de conteúdos, nomeadamente os instalados naquele país, em nome da propriedade intelectual e do direito de autor. O que é inaceitável para a comunidade internacional é que em nome desse objetivo o governo dos EUA passe a ter o direito de bloquear o acesso a sites internacionalmente. Isto não só inclui o domínio .com mas também .net e .org, nomes de domínio que são usados por milhões de organizações fora da jurisdição legal dos Estados Unidos.
Alguns grupos de defesa das liberdades civis dizem que as definições do SOPA são tão amplas para que seja interpretado de tal modo que nada online em qualquer lugar do mundo esteja fora da jurisdição dos EUA. Mas, há divergências. E, pelo sim, pelo não..
“Nos últimos anos, os Estados Unidos têm usado cada vez mais o facto de grande parte da infraestrutura da Internet e de empresas-chave estarem sob a jurisdição dos EUA para imporem sanções a empresas e indivíduos fora da sua jurisdição. Isto começou há dois anos, quando nomes de domínio da uma empresa espanhola detida por um empresário britânico foram removidos por um ‘registrar’ com sede nos EUA. A empresa nunca foi acusada de violar a lei espanhola”, disse o grupo de liberdades civis digitais EDRi em comunicado.
A Electronic Frontier Foundation criou o site “Global Censorship Chokepoints – Tracking Censorship through Copyright Proposals Worldwide” para “documentar e monitorizar as propostas globais para tornar os intermediários da Internet em polícia do ‘copyright’”.
Convém, nos próximos dias, até que o SOPA entre em votação (a previsão é de que isso aconteça no dia 24 de janeiro), prestar muita atenção no comportamento atípico da rede, por conta das ações contrárias ao SOPA. E refletir. Que Internet queremos?

SOPA Blackout Brasil
(http://meganao.wordpress.com/)

No dia 18/01/12 diversos sites, blogs e coletivos irão aderir ao #SOPABlackoutBR da forma que for possível. O ideal é que o site fique fora do ar por 12h (de 8h as 20h), para que as pessoas sintam realmente como seria terrível deixar de ter acesso ao site caso ele seja bloqueado pelo SOPA. O período de tempo e o fato de ficar totalmente fora do ar fica a critério de cada um.

Objetivo

Mostrar às autoridades Brasileiras e grandes grupos econômicos a posição da sociedade Brasileira em relação ao SOPA e demais práticas, normas, medidas judiciais e leis que ameaçam a liberdade na Internet, e aproveitar a oportunidade para expor as ameaças locais.

Por que aderir?

O SOPA apesar de ser um projeto de lei Americano, não afetará apenas os Estados Unidos, pois o país concentra quase todos os serviços e sites que utilizamos diariamente, e que podem ser afetados tais como Youtube, Facebook, WordPress, Google, Gmail, Twiiter, e muitos outros. Temos de lembrar também que muitos sites são hospedados nos EUA, mesmo sem ter TLD americano e outros fora dos EUA com TLD americano como (.com, .net, .org) em ambos os casos o site estará debaixo da legislação Americana.
SOPA também prevê instrumentos para bloquear os serviços de publicidade e pagamento online sob a jurisdição dos EUA, impactando qualquer site no mundo, apenas com base em uma denuncia de suspeita,e sem ordem judicial.
Os problemas não acabam por ai, o SOPA afetará profundamente a liberdade de expressão na Internet, todos os sites se verão obrigados a aplicar mecanismos de auto-censura, e filtrar toda atividade online de seus usuários para evitar serem bloqueados.
E junto com a lei Sinde na Espanha, Hadopi na França, o SOPA pode ser um terrivel instrumento de pressão para que demais países adotem legislações semelhantes. É importante lembrar que a Lei Sinde que aparentemente havia sido brecada por ativistas Espanhois, foi aprovada logo no inicio do novo mandato sob grande pressão Americana.

Como aderir

Qualquer forma de divulgação da ação é valida, estamos conectados em rede, qualquer pequeno esforço de cada um pode resultar em grandes impactos, veja algumas formas de agir.

Faça as pessoas entenderem o problema

Se cada um conseguir explicar para cinco pessoas os problemas envolvendo o SOPA e outros projetos de controle da rede, em pouco tempo teremos bastante gente engajada e informada. Falar sobre o assunto é muito importante, é um tema que afetará a todos nos e com esclarecimento e ação poderemos evita-los.

Divulgando a ação

Coloque em seu site um dos selos, se desejar crie um link para o Mega Não, ou para o post chamada no seu site.

Tirando seu site do ar

Se você possui um site com acesso via FTP, crie uma página index.html com sua mensagem de protesto contra o SOPA. caso não tenha idéia aponte seu site para algumas das páginas que estarão disponíveis no endereço http://ai5digital.com.br/ a partir de 15/01/12.

Tirando seu site parcialmente do ar

Se seu site estiver hospedado no WordPress ou Blogspot, é possível configurá-lo para apontar para uma página na home, crie esta página com a mensagem de protesto e deixe ela como a home do blog durante o dia da ação. Você também pode adotar a solução proposta pelo site “Direito de Ler

Twitter, Facebook, Orkut, Identica

Não poderemos parar de usar estas redes e ferramentas neste dia, pois eles serão muito úteis para disseminar a ação, não esqueca de usar sempre a tag #SOPAblackoutBR. Neste caso sugiro que troque seu avatar destas redes por um dos avatares da ação.

Quem esta apoiando

Quem vai participar

Além, dos apoiadores, estes sites também vão participar do Blackout
Estamos com um documento aberto para você colocar la os sites participantes, são muitos e logo apos o Blackout vamos lista-los aqui no Mega Não.
Saiba ainda quem mais vai participar no evento no Facebook


PROTECT IP / SOPA Breaks The Internet from Fight for the Future on Vimeo.